Foto: Lucas Uebel

Tricolor está a mais de 5 horas sem marcar gol

O Grêmio conseguiu cumprir o objetivo da viagem ao Rio de Janeiro. Após um mês de más atuações na Série B, o 0 a 0 com o Vasco devolve um pouco da tranquilidade ao clube. Com uma equipe formada por jogadores mais experientes do que os que vinham tendo chances, o time soube controlar a partida e foi pressionado só no fim do jogo em São Januário. O resultado mantém o clube perto do G-4 (distância para a zona de classificação era de dois pontos no fim do jogo) e dá fôlego para manutenção do trabalho de Roger Machado.

Com entradas de Thiago Santos, Edilson, Kannemann e Benítez, a versão mais experiente do time do Grêmio soube enfrentar e transformar em ponto a seu favor o ambiente criado pelas arquibancadas lotadas. O clima de decisão serviu ao time de Roger, que teve capacidade de combater os confrontos mais físicos como a comissão técnica cobrava. O esquema com três zagueiros também funcionou melhor e pouco deu espaços aos adversários.

O primeiro tempo teve uma única chance de gol para o Vasco. Aos 11, Nenê aproveitou desatenção do marcadores gremistas e soltou um chute forte da entrada da área. Brenno fez grande defesa, quase no ângulo do lado direto.

A resposta do Grêmio saiu dos pés de Thiago Santos. O volante recebeu no meio, combinou com Diego Souza e recebeu de volta na área. O chute cruzado passou ao lado da trave, com 18 minutos do primeiro tempo. Aos 25, foi a vez de Biel. O atacante recebeu de Diego Souza perto da entrada da área, cortou para o pé esquerdo e soltou o chute. O goleiro Thiago Rodrigues foi surpreendido pela trajetória e teve de espalmar a bola para escanteio.

Mesmo sem a construção de lances de maior refino técnico, o Grêmio teve o controle das ações em boa parte da primeira metade do jogo. Sem conseguir fugir da marcação do time de Roger, os jogadores do Vasco mostraram muita irritação. Os donos da casa levaram quatro cartões amarelos em apenas 45 minutos. O clima foi resumido por Edilson na saída de campo para o vestiário:

— Jogo quente. É bom jogar em São Januário com estádio cheio.

Para o segundo tempo, Roger promoveu a primeira alteração no Grêmio. Tirou Benítez e colocou Janderson, uma opção de mais velocidade na tentativa de dar uma opção a mais para os ataques pelo lado direito.

Kannemann lançou Biel, que tabelou com Nicolas e recebeu a devolução na área. O atacante driblou seu marcador e bateu no cantinho, mas Thiago Rodrigues fez boa defesa aos 5. O ritmo alto de marcação manteve o Vasco sob controle.

Para manter o time com fôlego, Roger promoveu três trocas de uma vez só aos 18 minutos: Edilson, Bitello e Nicolas deixaram o campo. Jhonata Varela, Lucas Silva e Diogo Barbosa entraram. As mudanças mantiveram a estrutura de muita marcação, mas tiraram um pouco do poder de contra-ataque da equipe.

Mas a proposta do Grêmio foi alcançada sem maiores sustos. Evitou a derrota, com boa atuação, e garante a manutenção da comissão técnica e do departamento de futebol



Veja também