A calculadora passou a ser um objeto de uso obrigatório para os gremistas. As contas para escapar do rebaixamento mudam a cada rodada. A vitória sobre o Fluminense, quarta-feira, na Arena, não trouxe maiores reflexos em termos de tabela, já que o Tricolor segue na vice-lanterna, mas proporciona um novo ânimo para as últimas oito partidas, nas quais serão necessárias ao menos cinco vitórias. Se o histórico recente do Campeonato Brasileiro se repetir em 2021, o Grêmio pode se livrar da queda com 44 pontos.

Porém, diante da pontuação dos adversários também lutam contra o descenso, a projeção tende a aumentar. De 2010 para cá, somente em 2016 uma equipe ficou em 17º lugar com mais de 45 pontos. Naquele ano, o Criciúma se salvou com 46 pontos, mesma pontuação do Fluminense, que ficou em 17º e cairia de divisão se a Portuguesa não fosse punida por escalação irregular. 

Nos anos de 2015, 2017 e 2018, o 16º colocado fez 43 pontos. Na teoria, cinco vitórias daqui para frente seriam suficientes para o Grêmio se manter na Série A, mas tudo pode mudar dependendo dos resultados a cada rodada. “Foi apenas a primeira vitória, tem muita coisa a ser jogada, a ser vivida. Emoções não vão faltar no final do campeonato, mas temos que estar equilibrados, montando a nossa estratégia jogo por jogo”, projeta o técnico Vagner Mancini.

O próximo desafio é no sábado, diante do América-MG, time que Mancini treinava antes do Grêmio. “Cada jogo é uma decisão e vamos enfrentar dessa forma. Sábado é mais um jogo difícil. Se eu conheço o América, eles também me conhecem, sabem as estratégias que eu utilizo, e isso equilibra o confronto”, diz o técnico do Grêmio. Algumas mudanças feitas contra o Fluminense podem ser mantidas, como a continuidade de Mateus Sarará no meio-campo. 

Próximos jogos 

13/11
América-MG x Grêmio

16/11
Grêmio x Bragantino

20/11
Chapecoense x Grêmio

23/11 (jogo atrasado)
Grêmio x Flamengo

26/11
Bahia x Grêmio



Veja também