Lauro Alves / Agencia RBS

O Grêmio emendou as vitórias que queria para o começo da Série B. Na Arena, contra o CRB, lanterna da competição, fez o que precisava: se impôs desde o início, marcou gol cedo e, mesmo tendo desperdiçado chances, ganhou por 2 a 0, graças a Elias e a Bitello. Com o resultado, o Tricolor garantiu-se no G-4 e pode terminar na liderança na rodada caso a Chapecoense empate ou perca para o Cruzeiro, em Santa Catarina. Partida começa às 19h.

Roger entendeu o recado que o campo havia lhe passado na rodada anterior e trocou o ataque. Campaz, de atuações discretas, deu lugar a Elias, que voltava a iniciar como titular. No resto, mesma equipe que havia vencido em Ponta Grossa. No adversário, um CRB com cinco desfalques: o principal deles, Maicon, lesionado.

O Grêmio tratou de pressionar e não dar tempo para os alagoanos se sentirem à vontade em Porto Alegre. Desde o início com marcação alta e bola direta para a frente, o time de Roger ocupava as pontas e forçava o ataque.

Esteve perto de marcar aos oito. Após cruzamento para a área feito por Rodrigo, o goleiro Diogo Silva espalmou para a frente e Diego Souza apanhou o rebote. Da entrada da área, o centroavante encheu o pé, mas a defesa salvou.

A pressão seguia e, aos 14, deu resultado. Diego Souza, desta vez, foi garçom. Ele pegou a bola na meia-lua, conduziu e viu Elias passando solto pela direita. Entregou de presente para o jovem atacante, que não perdoou: Grêmio 1 a 0.

O gol não diminuiu o ritmo do time gaúcho, que seguiu se impondo e buscando logo o segundo gol para definir a partida diante de um adversário que se mostrava bastante frágil. Com Biel e Elias sendo os mais acesos do ataque, chegava a todo o tempo próximo à área. Aos 28, por pouco não ganhou um gol de presente em uma bobeada do CRB. Nícolas cruzou da linha de fundo, a bola desviou em um defensor e subiu. Parecia sem perigo, e Gum deixou que o goleiro segurasse. Diogo, porém, se atrapalhou com o quique da bola, foi encoberto. Para sua sorte, não havia ninguém do Grêmio para completar.

O CRB só foi fazer Brenno trabalhar aos 31 minutos. Após cobrança de escanteio, Anselmo Ramon cabeceou e o goleiro gremista saltou para evitar o empate. O lance fez o time visitante acreditar na igualdade, o que só não veio porque Reginaldo fez o impossível. Após jogada pela direita, a bola foi cruzada para a área e passou pela frente de Brenno. Gustavo Apis conseguiu completar, Geromel salvou quase na linha, mas o rebote ficou limpo para Reginaldo. De dentro da área, sem goleiro, com a bola quicando, ele chutou para o chão e perdeu uma chance inacreditável.

O Grêmio agradeceu o desperdício e respondeu com gol. Eram 38 minutos. A jogada começou com Diego Souza pelo meio. Ele entregou para Biel, na esquerda, que rolou para o meio. De fora da área, de primeira e de pé esquerdo Bitello bateu. A bola bateu na trave, nas costas do goleiro e quicou já dentro do gol. Biel ainda completou, para garantir, mas o gol foi mesmo de Bitello. Depois do susto, o alívio, o Grêmio foi para o vestiário com 2 a 0.

O Grêmio voltou do intervalo sem mudar o estilo. Continuou tirando os espaços e pressionando o CRB. E deixou de liquidar o jogo aos seis minutos. Rodrigo desarmou o adversário, avançou e cruzou rasteiro da direita. Diego Souza, sozinho na área, perdoou. Bateu mal e isolou a chance clara.

E não é que justo Diego Souza, o goleador do time, perdeu mais uma oportunidade? O Grêmio, aos 14, construiu pelo meio, em uma tabela do centroavante com Biel. O atacante bateu, Diogo Silva defendeu parcialmente e Diego Souza, sozinho, chutou o rebote por cima do travessão.

Por falar em chances inacreditáveis, o que dizer de Elias? Aos 21, ele recebeu de Biel e ficou cara a cara com o goleiro, com espaço. Teve calma para driblar Diogo Silva, e acabou se desequilbrando. Perdeu tempo mas ainda assim tinha só um defensor meio que cuidando o gol vazio. E ele acertou a trave.

No minuto seguinte, Roger mexeu no time: promoveu a estreia de Elkeson, no lugar de Diogo Souza, e também colocou Gabriel Silva na vaga de Lucas Silva.

A superioridade do Grêmio era flagrante e Elias esteve perto de se recuperar do gol perdido. Aos 28, ele recebeu de Biel já dentro da área e, desta vez, não desperdiçou. Bateu firme, cruzado, para vencer o goleiro. O VAR, porém, flagrou impedimento do atacante e anulou.

A festa pelo resultado só não foi completa porque, nos acréscimos, Nicolas tomou cartão vermelho por pisar em Wallace. Tudo bem, no final, comemoração. O caminho para sair da Série B vai sendo trilhado.



Veja também