Foto: Lucas Uebel

Apesar de brigar para colocar a competição em prática, o Grêmio tem dado pouca atenção para a Primeira Liga. Prova é o grupo que será utilizado no jogo desta quinta-feira, contra o Ceará, às 21h30, na Arena. A equipe de transição será colocado em campo sem nenhum reserva imediato para não retirar nenhum jogador do Gre-Nal de sábado, pelo Gauchão. Alguns nomes são dignos de observação.

É, basicamente, isso que o Grêmio tem para tirar desta partida. A equipe C gremista conta com jovens com potencial de serem utilizados durante o ano ou até em 2018. Nomes como Machado, Luan Viana e Lima puxam a fila.

O técnico Renato Portaluppi estará na Arena, mas não comandará a equipe – vai dar o treino da tarde, poucas horas antes da partida, para os titulares. O treinador será Felipe Endres, justamente quem comanda o grupo de transição.

A partida poderia servir também para ver novos jogadores. O Grêmio contratou o uruguaio Martín Chaves, considerado promessa no seu país, junto ao Peñarol, e o meia Matheusinho, do São Caetano. Ambos, porém, não foram relacionados, já que não estão regularizados na CBF.

Com derrota para o Flamengo e o jogo com o América-MG adiado, o Grêmio pode, mesmo sem vencer nesta quinta, se classificar para as quartas de final da Primeira Liga. O duelo com os mineiros será no dia 5 de abril. O líder é o Flamengo, com sete pontos. O Ceará vem em segundo, com dois, e o América-MG tem um ponto ganho.



Veja também