Marco Favero / Agencia RBS

Sem vencer no Brasileirão desde 6 de janeiro, quando bateu o Bahia por 2 a 1, na Arena, o Grêmio tem o adversário ideal para voltar a conquistar três pontos depois de mais de um mês. Nesta segunda-feira, às 20h, o Tricolor entra no gramado do Estádio Nilton Santos para encarar o Botafogo, rebaixado para a Série B com a derrota para o Sport na última sexta-feira e que passa por profunda crise esportiva e também administrativa.

A derrota para os pernambucanos só confirmou matematicamente uma queda que estava anunciada. Com apenas 24 pontos conquistados, o Botafogo venceu quatro de seus 34 jogos. O rebaixamento na 34ª rodada foi o mais precoce de um campeão brasileiro desde 2006, quando o campeonato passou a ser disputado por 20 clubes em pontos corridos.

No final de semana, a direção carioca anunciou as saídas do técnico Eduardo Barroca e do gerente Túlio Lustosa. Diante do Grêmio, o Botafogo será comandado pelo interino Lúcio Flávio, o quinto treinador diferente da equipe no Brasileiro.

A crise alvinegra cria um cenário favorável, mas também torna a vitória obrigatória para o Grêmio, que somou cinco empates e sofreu duas derrotas nos últimos sete jogos. A sequência sem vencer fez o Tricolor cair para o sétimo lugar na tabela. Um triunfo nesta segunda à noite fará o time de Renato Portaluppi subir para o sexto lugar, com os mesmos 56 pontos do quinto Fluminense e a dois do quarto, o São Paulo. Ambos entram em campo na quarta-feira para enfrentar Ceará e Atlético-MG, respectivamente, em suas casas. O time paulista será o adversário seguinte dos gremistas, na Arena, domingo.

O Grêmio terá três desfalques hoje em relação ao time que empatou com o Santos na última quarta-feira. Além do centroavante Diego Souza e do lateral-direito Victor Ferraz, suspensos, o goleiro Vanderlei foi poupado por Renato e sequer viajou ao Rio de Janeiro. Paulo Victor será o titular, com Julio César no banco. Vanderson será o substituto de Ferraz no lado direito da defesa, que pode ter uma mudança no miolo da zaga: David Braz tem chance de ganhar a vaga de Rodrigues para ser o companheiro de Kannemann.

A missão de substituir o artilheiro Diego Souza será de Diego Churín. Fora até mesmo do banco nas últimas partidas por um estiramento muscular, o argentino está confirmado no comando do ataque. Em sua volta ao time, ele avaliou que o Grêmio tem pago caro por pequenos erros nos últimos jogos.

— Isso é futebol, essas coisas acontecem. Trabalhamos igual na derrota ou na vitória. Antes, quando tivemos muitos jogos sem perder, trabalhamos da mesma maneira, vendo os erros que cometemos jogo a jogo. E agora o mesmo. Estamos pagando muito caro pelos detalhes que não fazemos bem, e talvez não acontecesse isso antes. Às vezes, se faz muito para ganhar e não consegue, mas tem de ter a cabeça fria e os pés no chão, não enlouquecer e tratar de conseguir a vitória o quanto antes — projetou.

Churín esteve em campo pela última vez no empate sem gols com o Fortaleza, em 9 de janeiro, quando o Grêmio iniciou a série de sete jogos sem vitória. Desde que chegou ao clube, o argentino disputou 19 partidas e marcou dois gols. Ele foi titular em apenas seis oportunidades.

Outro jogador contratado no final da janela de transferências, em novembro, o chileno César Pinares não viajou ao Rio após ter se negado a entrar nos minutos finais do empate com o Santos. O meia alegou que sentiu um desconforto no aquecimento.

Pinares foi chamado para uma conversa com o coordenador técnico Marcelo Oliveira e, além de ter ficado fora da partida contra o Botafogo, levou uma multa. A tendência é de que ele volte no próximo final de semana para o confronto com o São Paulo.



Veja também