A Série B mal começou e já apresenta ao Grêmio um cenário inesperado. Logo na terceira rodada, o Tricolor entra em campo contra o Guarani, nesta quinta-feira, às 16h30, na Arena, com um peso de vencer pela primeira vez na competição e evitar que a pressão aumente sobre direção, comissão técnica e jogadores.

Ainda é cedo, mas a projeção do Grêmio era estar em uma condição melhor na tabela da Série B. Atualmente, é o 17º, dentro da zona de rebaixamento. Tem um empate, contra a Ponte Preta, e a derrota para a Chapecoense em plena Arena.

Em 2021, a equipe passou 37 rodadas dentro do Z-4 da Série A. Se não vencer nesta quinta, as cobranças externas tomarão outro corpo. Nos primeiros seis jogos, o Grêmio pretende fazer pelo menos 10 pontos. Faltam nove em 12 a ser disputados para cumprir a meta inicial.

– Não pode passar mais uma partida de dificuldade, com todo respeito. O Guarani está na mesma campanha que nós, um clube tradicionalíssimo, que merece e tem todo o respeito. Mas se nós quisermos fazer campanha, temos que vencer – disse o presidente Romildo Bolzan Júnior.

As duas primeiras partidas tiveram um problema em comum: a dificuldade para fazer gols. O Tricolor não marcou ainda na competição. Diego Souza, artilheiro, e Nicolas, líder de assistências, voltam ao time. Edilson também deve entrar na lateral direita como medida para tornar o time mais “leve”.

Em entrevista coletiva marcada de última hora na segunda-feira, o presidente Romildo Bolzan Júnior relatou uma conversa com o técnico Roger Machado para buscar alternativas mais ofensivas de meio-campo, diferente da formação atual.

O dirigente também destacou que o “tempo” para a reação é esta quinta-feira, mas garantiu apoio a Roger. Nos bastidores, a versão é que o treinador está blindado pelo dirigente.

Poderíamos ter ganho os jogos, mas os resultados não foram o que desejamos, não estavam programados. Se algo bom surge, foi que tivemos a dominância.— Romildo Bolzan Júnior, presidente

A derrota em casa na rodada passada já gerou um início de clima ruim. A torcida vaiou o time no intervalou e após o final da partida contra a Chape. Além disso, após falhar no gol sofrido, o lateral-esquerdo Diogo Barbosa passou a ser perseguido a cada toque na bola.

Nos dias seguintes, houve a definição pela entrevista do presidente por conta da declaração do vice de futebol Denis Abrahão, que se confundiu ao falar do Guarani e citou o Palmeiras, e de Roger, que afirmou que se sentiu como “visitante” em alguns momentos na Arena. A ideia era reparar danos, inclusive com o Bugre.

Roger vai fazer três mudanças no time. Edilson e Nicolas entram nas laterais nas vagas de Rodrigues e Diogo Barbosa, respectivamente. No ataque, Diego Souza retoma o lugar naturalmente, mas Elias permanece no time e vai para a ponta esquerda. Ferreira, com desconforto muscular, é desfalque.

A bola rola na Arena pela terceira rodada da Série B a partir das 16h30. O Grêmio é o 17º colocado com o mesmo ponto somado que o Guarani, em 18º.



Veja também