Grêmio e Edilson não chegaram a um acordo para o retorno do lateral-direito a Porto Alegre e deram por encerradas as negociações. Conforme apurado pelo GloboEsporte.com, o jogador do Cruzeiro até conseguiu liberação do clube mineiro, mas o acerto com o Tricolor ficou pelo caminho.

O salário alto de Edilson e a dívida que a Raposa tem com o atleta dificultaram as tratativas. Apesar disso, as partes admitem que podem voltar a conversar, a depender de alguns fatores.

Além de receber cerca de três vezes mais que o teto salarial estabelecido no Cruzeiro para 2020, o lateral não tem mais clima para seguir em Belo Horizonte. Afinal, é considerado pelos torcedores como um dos vilões da equipe em 2019, que terminou com o rebaixamento à Série B do Brasileiro.

Edilson tem salário considerado alto no Cruzeiro — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Edilson tem salário considerado alto no Cruzeiro — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

A parceria com o técnico Renato Gaúcho facilitaria a contratação pelo Grêmio. O treinador, inclusive, participou ativamente das conversas com o jogador. Recentemente, Edilson admitiu o desejo de retornar ao Tricolor em entrevista à Rádio Liberdade.

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, já explicitou que procura mais um lateral-direito além de Victor Ferraz, contratado junto ao SantosLéo Moura e Galhardo não tiveram seus contratos renovados e deixaram o Rio Grande do Sul. O titular da posição, Leonardo, só deve voltar aos gramados na metade do ano após passar por cirurgia no joelho direito.

Com Victor Ferraz e sem Edilson – até o momento -, o Grêmio se apresenta para o início da pré-temporada na quinta-feira, no CT Luiz Carvalho. O primeiro jogo do ano será no dia 19 de janeiro, contra o Pelotas, valendo o título da Recopa Gaúcha.



Veja também