Grêmio é denunciado no STJD por entrada de Carol Portaluppi no campo

Filha de Renato entrou no gramado da Arena para comemorar classificação para a final da Copa do Brasil

10 de novembro de 2016 - Às 12:05
Foto: Wesley Santos / Agência PressDigital
Foto: Wesley Santos / Agência PressDigital

O Grêmio foi denunciado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela entrada de Carol Portaluppi, filha de Renato, no gramado da Arena após o empate com o Cruzeiro, pelas semifinais da Copa do Brasil. O julgamento do caso está marcado para a próxima quarta-feira, dia 16, mas o clube não corre risco de perder mandos de campo.

Renato chamou a sua filha nos minutos finais da partida, que marcou a classificação gremista para a final contra o Atlético-MG. Carol Portaluppi aguardava no túnel da zona mista da Arena e foi conduzida ao campo por um segurança. Sentou no banco de reservas e, logo depois, o árbitro apitou o final da partida. A filha deu um abraço no pai à beira do campo e registrou a festa da torcida e dos jogadores dentro do gramado.

Na súmula da partida, o árbitro Thiago Duarte Peixoto relatou o incidente. Informou que o quarto árbitro, Francisco Neto, e o delegado da partida, Nilson de Souza, o avisaram que Renato chamou a filha para entrar no gramado antes do apito final. Mas ela sentou no banco de reservas e foi impossível retirá-la a tempo, até porque logo depois ele assinalou o fim do jogo

Para a Procuradoria do STJD, ainda que a infração não tenha sido grave, o Grêmio deve responder por “deixar de prevenir e reprimir invasão de campo ou local da disputa do evento”, conforme estipula o artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (STJD). Caso os auditores entendam que não houve invasão, a Procuradoria recomenda a aplicação de multa ao clube por descumprir o regulamento que proíbe a entrada de pessoas não autorizadas no gramado. Em ambos os casos, a pena prevista é multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

Fonte: Globoesporte



Veja também