Grêmio deve reduzir folha salarial em mais de R$ 1 milhão

19 de dezembro de 2013 - Às 09:35
A ordem no Grêmio é de cortar gastos. Com o maior déficit de toda sua história, o Tricolor vive momento financeiro complicado e por isso não poderá fazer grandes contratações para a próxima temporada. Inclusive, o objetivo é aproveitar o elenco desde suas categorias de base até o time atual. E no time atual, a ordem é tentar diminuir os salários.
Com a saída de Renato e sua comissão técnica e também de Dida e Fábio Aurélio, o alívio na folha salarial chegou a quase R$ 600 mil. E este valor pode dobrar com a confirmação da saída de Elano (R$ 500 mil mensais) e também do reajuste salarial de Zé Roberto (diminuir em R$ 100 mil).
O diretor executivo do Grêmio falou sobre o assunto:
“O que percebemos é que após a Copa do Mundo havia uma boa possibilidade desta bolha do futebol brasileiro estourar. Não é algo somente do Grêmio, mas os salários muito altos pagos pelo mercado. Quem se adaptar a uma nova realidade mais rápido sai na frente. No Grêmio isso chegou muito cedo, até mais do que imaginávamos”, afirmou o diretor executivo de futebol do Grêmio, Rui Costa.


Veja também