Envolvido com a reta final do Campeonato Brasileiro e a decisão da Copa do Brasil, o Grêmio evitar falar sobre a permanência de Renato Portaluppi para a próxima temporada. No entanto, para ter o comandante à beira do campo nas finais contra o Palmeiras, terá de estender por alguns dias o vínculo do treinador, que vai apenas até o dia 28 de fevereiro.

Assim, como as finais da Copa do Brasil foram adiadas para os dias 28 de fevereiro e 7 de março, devido à participação do Palmeiras no Mundial de Clubes, o técnico gremista precisará de um aditivo no contrato.

O atual vínculo entre as partes foi atualizado em novembro por conta da temporada alongada até o final de fevereiro. Àquela altura, a previsão era de que todos os jogos fossem realizados até 28 de fevereiro, data do encerramento do acordo.

Pela campanha positiva do Palmeiras na Copa do Brasil e também o título da Libertadores, a CBF teve que remarcar a partida derradeira do torneio nacional para março. Assim, Renato só poderá comandar a equipe no jogo de volta se estender o vínculo com o clube gaúcho por mais alguns dias.

— Essa renovação para ele permanecer até o dia 7 (de março) será de fácil execução. Vamos respeitar essa posição. Depois ele e o presidente sentam e chegarão a conclusão definitiva — disse Paulo Luz, vice de futebol do clube, após o empate com o Coritiba.

Já que o clube decidiu, com o próprio treinador, bater o martelo pela continuidade ou não da parceria apenas após o término da disputa da atual temporada, a tendência é de que seja proposto um termo aditivo por 30 dias.

A legislação não prevê tempo mínimo para treinadores, mas para atletas sim: um mês. Desta forma, esse recurso será adotado pelo departamento de futebol. Em caso de rompimento para 2021, o contrato será encerrado sem o pagamento de multa, algo que as partes sempre acordaram em todas as passagens de Renato por Porto Alegre.



Veja também