Alessandra Torres / Eleven/Agência Lancepress!

O Grêmio espera que, mais uma vez, a influência direta de Renato Portaluppi seja decisiva para a contratação de um reforço. Depois de convencer nomes como Léo Moura, Cortez, Cícero e Jael a aceitarem oferta de trabalho do clube, o técnico tenta fazer o mesmo em relação ao meia Thiago Neves, 33 anos, do Cruzeiro. A direção confirma que os primeiros movimentos já foram feitos.

— O Renato nos ajuda bastante, é muito bom nisso. (Thiago Neves) Foi um dos nomes passados por ele na reunião que tivemos — diz o vice de futebol, Duda Kroeff.

A sugestão foi apresentada por Renato na sexta-feira, dia 30 de novembro, um dia depois de o técnico acertar sua permanência no Grêmio. Em reunião com o departamento de futebol, alguns nomes foram debatidos, e o de Thiago foi um dos que mais empolgação provocou.

— É um jogador que nos interessa, não tem por que negar — destaca Duda, sem deixar de colocar a dificuldade para fechamento do negócio. — Mas não sabemos se será possível. O André Zanotta (executivo)está trabalhando, conversando com o pessoal do Cruzeiro.

Diferentemente, contudo, do ocorrido com Léo Moura, Cortez, Cícero e Jael, que não tinham vínculo com qualquer clube, Thiago Neves tem mais um ano de contrato no Cruzeiro. Sua multa rescisória é de US$ 10 milhões (R$ 38 milhões), e o salário beira os R$ 600 mil.

— É esse tipo de coisa que o André (Zanotta) está conversando para ver se é viável. Mas, se não der, tem outros que podem chegar. Não tem problema — completa o vice de futebol.

O empresário de Thiago Neves, Leandro Lima, diz não ter sido contatado pela direção do Grêmio. No entanto, admite que terá uma reunião com a direção do Cruzeiro no início da próxima semana para tratar do futuro de Thiago Neves. O clube mineiro, inclusive, deve realizar uma oferta ao meia para renovar seu contrato, que se encerra no final de 2019.

Seria uma forma de valorização ao jogador que foi decisivo para os dois títulos de Copa do Brasil conquistados nos últimos anos. E, claro, uma forma de frustrar a investida da equipe gaúcha e manter o meia, que hoje é um dos ídolos da torcida.

— Não fui procurado por ninguém do Grêmio. Ele tem contrato até o final de 2019. Na próxima semana, temos reunião agendada com a direção do Cruzeiro — observa Lima.

Foi com Renato, em 2007, no Fluminense, que Thiago Neves recebeu as primeiras oportunidades em um grande clube brasileiro. No ano seguinte, foi um dos jogadores mais destacados na campanha que levou a equipe carioca à decisão da Libertadores, contra a LDU – a equipe equatoriana venceria a decisão. O demorado abraço dado no técnico no ano passado, antes da partida entre Cruzeiro e Grêmio, no Mineirão, finalizada em 3 a 3, foi sua forma de agradecer.

— O abraço foi pela amizade que a gente fez. Eu acho que sou o que sou hoje, as conquistas, eu devo ao Renato. Ele me deu toda a confiança, foi ele que me botou para jogar em 2007. Eu sou muito grato por tudo que ele fez naquele momento — explicou o jogador à época.



Veja também