Foto: Getty Images

O Grêmio cobra o Porto na Fifa pelo atraso do pagamento da terceira parcela na negociação da venda do atacante Pepê. O clube português não pagou cerca de 2,5 milhões de euros (R$ 16 milhões na cotação atual) no início do mês de dezembro.

O ge confirmou a informação divulgada pelo UOL. Ainda conforme apurou a reportagem, o Grêmio notificou o Porto mais de uma vez e tentou um acordo amigável, mas sem sucesso. O clube gaúcho então partiu para a Fifa.

O Porto acertou a compra de Pepê em cinco parcelas de valores diferentes. No total, a cifra ficou em 15 milhões de euros. Mas o Grêmio recebeu apenas 10,5 milhões de euros porque detinha 70% dos direitos do jogador. O Foz do Iguaçu ficou com os 30%.

O Tricolor também tem direito a 12,5% da chamada “mais-valia”. Ou seja, caso Pepê seja vendido, tal fatia será paga pelo valor que exceder os números da negociação atual. O contrato com o clube português é válido até 2026.

Pepê deixou o Grêmio no final de maio, após a conquista do título do Gauchão. Ele estreou no time principal em 2017, mas só no ano seguinte foi aproveitado com mais frequência. Em 2020, assumiu o protagonismo da equipe com a venda de Everton ao Benfica.



Veja também