A matemática ainda não é definitiva, embora mostre um cenário provável. Mas o Grêmio, de certa forma, assimilou a queda depois da derrota para o Bahia, na última sexta. Do choro de Churín no banco da Fonte Nova (veja abaixo) à manifestação realista do presidente Romildo Bolzan, que admitiu “justiça” se o rebaixamento se confirmar. O Tricolor completou um turno inteiro de derrotas e está desde a segunda rodada na zona de rebaixamento.

As 19 derrotas são o recorde de jogos perdidos do Grêmio desde que o Brasileirão tem esse formato, com pontos corridos com 20 clubes. É um número superior também a alguns clubes rebaixados nos últimos anos, como o Vasco, que teve 17 ano passado, e o Cruzeiro, que teve 16 em 2019.

Exemplos como o choro de Churín e os discursos depois do jogo formam um clima de fim de festa, ainda que haja possibilidades. A campanha ruim gremista ainda pode se salvar no apagar das luzes.

Isso é uma probabilidade pequena e depende quase que exclusivamente de três vitórias do Tricolor. Depois da 19ª derrota, na sexta, o presidente Romildo Bolzan reconheceu que uma eventual queda será justa.

– Se o Grêmio cair, é porque não pontuou o suficiente para passar. É simples assim, se não pontuou o suficiente e caiu, não houve justiça tampouco fez por merecer. Assim que é a realidade. Não vamos tapar o sol com a peneira. Mas ainda restam três partidas que podem ser decisivas a nosso favor – disse Bolzan.

O Grêmio ficou apenas uma rodada fora da zona de rebaixamento, na primeira. Embora não tenha pontuado, levou menos gols que vários rivais. Não jogou na segunda, com o duelo com o Flamengo adiado, e a partir de então esteve dentro do Z-4.

Grêmio presidente Romildo Bolzan Júnior discurso vestiário — Foto: Reprodução / Grêmio TV

Grêmio presidente Romildo Bolzan Júnior discurso vestiário — Foto: Reprodução / Grêmio TV

Completa, neste domingo, 175 dias na zona de rebaixamento. Variou entre a lanterna e a penúltima colocação. E apenas isso. Pode acabar o atual Brasileiro com a segunda pior defesa desde o formato com 20 clubes nos pontos corridos.

O domingo é de folga para o elenco tricolor, que retoma as atividades nesta segunda-feira. Uma reunião vai tratar da postura dos jogadores nos últimos dois jogos, considerada apática pela diretoria. O próximo rival é o São Paulo, na quinta-feira, na Arena.



Veja também