O Grêmio fechou a venda do atacante Everton para o Benfica, de Portugal. O atacante deve embarcar nos próximos dias para a Europa e já não enfrenta o Fluminense, neste domingo, na Arena, na estreia do time no Campeonato Brasileiro.

O acordo entre os clubes já estava encaminhado e foi finalizado nesta sexta-feira. A negociação foi fechada por 20 milhões de euros (R$ 127,6 milhões, pela cotação atual), com pagamento em três anos. O Grêmio também ficou com 15% dos direitos do jogador, de olho em uma futura venda na Europa.

Everton marcou 69 gols pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Everton marcou 69 gols pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O valor já havia sido aceito pelo Grêmio, restava definir as condições de pagamento. O clube gaúcho não aceitou a proposta do Benfica de parcelamento ao longo dos cinco anos de contrato de Cebolinha e teve as exigências atendidas.

O Grêmio detinha 50% dos direitos econômicos de Everton. O restante estava fatiado entre seu antigo empresário (30%), um investidor (10%) e o Fortaleza (10%), clube formador.

Nos últimos dias, a direção do Grêmio tratou com todas as partes envolvidas no negócio para definir a venda e também tentar lucrar mais com a negociação ou permanecer com uma porcentagem do jogador.

Aos 24 anos, Everton deixa o Grêmio como artilheiro e principal jogador do time nas duas últimas temporadas. Seu último jogo com a camisa do clube foi o Gre-Nal da final do segundo turno do Gauchão, no qual teve participação nos dois gols da vitória. Após a partida, Everton falou em tom de despedida e se emocionou.

– Sensação de dever cumprido, oito anos nesse clube. Pude honrar a camisa. Cheguei com 16 anos, ganhei vários títulos. Muita gratidão. Agradecer ao carinho e aprendizado que tive aqui. Não nasci gremista, mas é um clube que vou levar para o resto da minha vida – disse Everton.

Natural de Maracanaú, no Ceará, o atacante trocou Fortaleza por Porto Alegre em 2013. No ano seguinte, já recebia as primeiras oportunidades no time principal.

Em sua trajetória pelo Grêmio, participou de 273 partidas, com 69 gols marcados. Foi campeão da Copa América pela Seleção e esteve presente nos títulos da Copa do Brasil (2016), Libertadores (2017), Recopa (2018) e dois Gauchões (2018 e 2019).



Veja também