O Grêmio tem conversas já avançadas com a Carris, empresa de transporte coletivo de Porto Alegre, para uso da área do Estádio Olímpico. O local será cedido em uma parceria como estacionamento para cerca de 60 ônibus novos comprados pela Prefeitura.

Assim, o Tricolor movimenta a área, já que o estádio está desativado desde a mudança para o CT Luiz Carvalho, no segundo semestre de 2014, e ganha em troca uma proteção maior ao bairro, feita pela empresa. O clube gaúcho convive com invasões constantes ao local e pretende, com a ação, minimizar a rotina.

A nova frota de ônibus será armazenada no local assim que chegar. Inicialmente, o acordo prevê a manutenção dos veículos no pátio do Olímpico até o final deste ano.

Estádio Olímpico Grêmio Porto Alegre — Foto: Eduardo Moura/Globoesporte.com

Estádio Olímpico Grêmio Porto Alegre — Foto: Eduardo Moura/Globoesporte.com

O Grêmio confirmou ao GloboEsporte.com o acerto. Procurada pela reportagem, a Carris não se posiconou até o fechamento desta matéria. O texto será atualizado quando isto for feito. A Prefeitura selou o financiamento com a Caixa para comprar quases 100 veículos em março.

Depois da inauguração da Arena, em dezembro de 2012, o Grêmio ainda jogou algumas partidas do Gauchão de 2013 no seu antigo estádio. A partir de então, passou a treinar na estrutura lá enquanto o CT Luiz Carvalho não estava pronto.

A partir de setembr de 2014, todas as atividades do profissional do Grêmio são realizadas no CT Luiz Carvalho, construído justamente por conta da parceria com a OAS pela Arena. A mudança significaria a implosão do estádio, mas a troca de chave nunca foi efetivada.

O Tricolor manteve a área do Olímpico e não entregou para a OAS porque não queria abrir mão do patrimônio sem receber a Arena desonerada. Houve, também, negociações para a compra antecipada da gestão do novo estádio. Celebrada em diversos momentos, a negociação nunca foi efetivada entre as partes.



Veja também