Grêmio avalia contratação de Vanderlei, goleiro do Santos

Reserva no clube do litoral paulista, atleta de 35 anos interessa ao Tricolor

Foto: Ivan Storti / Santos FC / Divulgação / CP

O Grêmio avalia a contratação do goleiro Vanderlei, do Santos, para 2020. Aos 35 anos, o atleta de 1m95cm é reserva de Everson e tem contrato com a equipe do litoral paulista até o fim do ano, o que facilitaria uma liberação por parte do clube alvinegro.

De forma oficial, a direção tricolor garante que a contratação de um novo jogador para a posição não é uma das prioridades para a temporada. Nos bastidores, no entanto, o clube busca um atleta experiente para disputar a titularidade com Paulo Victor, questionado ao longo de 2019.

Ainda que tenha passado a maior parte do ano passado no banco de reservas do time santista, Vanderlei tem todos os predicados para ser titular do Grêmio. Setorista do Santos pelo jornal A Tribuna, o repórter Bruno Lima acredita que uma possível transferência do goleiro para o Tricolor seria benéfica para todas as partes.

— Tecnicamente e fisicamente, apesar da idade, Vanderlei está muito bem. Se o Grêmio fechar essa contratação, seria um excelente reforço. Acho que é um negócio interessante para as três partes: para o Grêmio, que precisa de um goleiro, para o Vanderlei, que quer jogar, e para o Santos, que conseguiria se livrar do alto salário de um jogador que não atua — destaca o jornalista.

Aliás, outro ponto facilitaria a liberação do atleta pelo Santos. O goleiro Vladimir, que teve boas atuações no Brasileirão de 2019 com a camisa do Avaí, retorna ao clube, que já anunciou que não pretende reemprestá-lo em 2020. Assim, além do titular Everson, seriam dois goleiros de altos salários na equipe caso Vanderlei permaneça.

Antes ainda de jogar no Santos, o atleta foi destaque do Coritiba, onde atuou por oito anos. Pelo clube paranaense, fez mais de 300 partidas e passou a chamar atenção pela velocidade de reação e defesas difíceis, algo que é confirmado por quem acompanhou sua trajetória no Coxa.

— Ele sempre teve um poder de decisão muito grande, fazia defesas dificílimas, mas tinha dificuldade na saída do gol. Isso, no Santos, ele aprimorou bastante. É um jogador que pode contribuir demais para o Grêmio, até porque vimos o Paulo Victor falhar bastante neste ano, e o Vanderlei evoluiu demais nos últimos anos. Antes ele era um grande goleiro embaixo da trave, fazendo defesas magníficas, mas errava na saída de bola e acabava complicado a equipe. Mas acho que, mesmo com a idade que tem hoje, pode ajudar o Grêmio — entende o repórter Felipe Dalke, da rádio Banda B, de Curitiba.

A reserva
Querido pela torcida do Santos e com cartaz de melhor goleiro do Campeonato Brasileiro de 2017, Vanderlei ainda era um dos destaques da equipe no final de 2018. Porém, a chegada do técnico Jorge Sampaoli atrapalhou sua sequência como titular da equipe.

O argentino queria um goleiro que jogasse bem com pés. Indicou, como ficha 1, o uruguaio Martín Campaña, do Independiente-ARG. As negociações não avançaram e a direção santista foi atrás de Everson, destaque do Ceará na temporada anterior, e que havia sido procurado até mesmo pelo Grêmio, antes de o clube gaúcho anunciar a contratação de Julio César, no início do ano passado.

— Ninguém acreditava que, no fundo, o Sampaoli fosse tirar o Vanderlei, ídolo da torcida, um dos principais jogadores do time, para colocar o Everson. Principalmente por tudo o que ele já fez pelo clube, e também por ser um goleiro espetacular embaixo das traves — recorda o jornalista Bruno Lima, que acompanha o dia a dia do Santos.

Vanderlei foi titular em boa parte do Campeonato Paulista e disputou algumas poucas partidas do Campeonato Brasileiro — uma delas contra o Grêmio, na primeira rodada, na qual foi destaque na vitória por 2 a 1 sobre o Tricolor, na Arena. Seu último jogo foi no empate em 0 a 0 com o Inter, na Vila Belmiro, em 26 de maio.

Isso porque o combinado no clube era de que ele jogaria o Estadual e Everson atuaria nas copas. Contudo, depois da eliminação do time nas oitavas de final da Copa do Brasil, em junho, acabou na reserva do recém-contratado e não jogou mais nenhuma partida na temporada.

Números em 2019
23 jogos
2.100 minutos em campo
23 gols sofridos
14 defesas difíceis
12 vitórias
6 empates
5 derrotas



Veja também