A eliminação na Copa do Brasil já estava internalizada pelo Grêmio antes mesmo de a bola rolar para a derrota por 2 a 0 nesta quarta-feira, no Maracanã, no jogo de volta das quartas de final. O técnico Luiz Felipe Scolari usou um time misto para tentar tirar lições de como pontuar contra o Flamengo no jogo que realmente importa, no domingo, pela 21ª rodada do Brasileirão. Mas vai precisar melhorar.

Na noite passada, Felipão não usou seis jogadores que foram titulares na vitória sobre o Ceará: Vanderson, suspenso, Ruan, sem inscrição na Copa do Brasil, Gabriel Chapecó, Alisson, Ferreira e Thiago Santos, todos poupados. Rodrigues, Diego Souza e Lucas Silva entraram no segundo tempo.

A estratégia novamente foi congestionar o meio-campo com três jogadores no setor: Fernando Henrique, Sarará e Villasanti. Do trio, apenas o paraguaio deve começar no domingo, ao lado de Thiago Santos e Lucas Silva.Levo que estamos com uma possibilidade boa de montar uma boa equipe já para domingo também. Sabedores de como o Flamengo se posiciona muito mais em campo, acredito que teremos um jogo muito melhor do que tivemos hoje (quarta).— Felipão

Felipão em derrota do Grêmio para o Flamengo — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Felipão em derrota do Grêmio para o Flamengo — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A rotação empregada pelo Flamengo na partida, por óbvio, será outra. O Grêmio promete manter a intensidade na marcação e a característica de tentar se fechar ao máximo para tentar pontuar no Maracanã, pois o duelo pelo Brasileirão é o que interessa para os gaúchos.

Felipão observou, portanto, a postura de como encarar o rival e o que explorar, mesmo que as peças mudem nos dois lados. Fez um laboratório com a esperança de perceber elementos para um antídoto.

Neste cenário, as voltas de Alisson e Ferreira precisam ser saudadas. A diferença entre os dois e os pontas reservas, Léo Pereira e Jhonata Robert, é muito grande. Pelo menos foi o que mostrou a partida desta quarta-feira.

O Tricolor teve poucas opções de passe à frente da linha da bola, especialmente no primeiro tempo. Se isso se repetir no domingo, fica difícil pensar em melhor vida.

Com mais qualidade, Borja fica menos isolado e é possível ao menos vislumbrar a possibilidade de gerar perigo no ataque, algo que não ocorreu na Copa do Brasil.

O primeiro gol do Flamengo saiu em cobrança de pênalti aos 33 minutos do segundo tempo, após o árbitro revisar lance e marcar toque de mão do zagueiro Rodrigues dentro da área.

A jogada foi até meio fortuita, mas significava naquele momento uma pressão do Flamengo, que se aproximava do gol de Brenno. E o Grêmio não tinha como agredir com alguma resposta.

Essa, portanto, é a chave para o jogo de domingo. Como agredir o poderoso Flamengo sem sofrer e conseguir um ponto que seja para somar na briga contra o rebaixamento. O Grêmio é o 18º colocado na tabela.

Mesmo com o jogo no Rio de Janeiro, o Grêmio voltou a Porto Alegre na madrugada e volta a treinar nesta quinta-feira no CT Luiz Carvalho. No sábado, retorna ao Rio para o jogo de domingo, às 20h30.



Veja também