Foto: Ricardo Giusti

Qualidade ele tem de sobra. São poucos os jogadores de meio-campo com a capacidade criativa de Jean Pyerre no futebol brasileiro. É o típico camisa 10 capaz de resolver uma partida com uma assistência para gol, um lançamento primoroso ou uma bola parada diferenciada. Se os recursos técnicos são fartos, o que boa parte da torcida argumenta é que lhe falta intensidade e, principalmente, regularidade no time do Grêmio. E isso o clube espera que aconteça, mais uma vez, com a continuidade na equipe titular. 

Quarta-feira, na vitória por 2 a 0 sobre o Brasiliense, pela Copa do Brasil, Jean Pyerre participou diretamente da jogada do primeiro gol e marcou o segundo. O meia iniciou a partida atuando mais pelo lado esquerdo, como é de costume, mas ao longo do jogo mudou o posicionamento e apareceu em diferentes áreas do campo. Fez o gol pisando na grande área, algo que lhe é cobrado há bastante tempo.

“É um atleta de muita qualidade, criativo, com muito repertório técnico. Ele enxerga o jogo de maneira diferente”, elogia o analista de desempenho Pedro Sotero, que na quarta-feira foi o comandante do Grêmio à beira do gramado da Arena.

“O Tiago (Nunes) conversa com o Jean Pyerre no dia a dia para que ele possa desempenhar o melhor futebol. A gente acredita que, com a sequência do trabalho, ele vai crescer e se desenvolver cada vez mais”, completa Sotero. Outro fator que precisa “colaborar” para que o atleta obtenha a esperada regularidade nas atuações é a mudança no histórico de lesões. Desde que sofreu uma séria lesão muscular, em setembro de 2019, Jean Pyerre enfrenta com certa frequência problemas que o tiram de jogos do Grêmio.

Na época em que atravessava o melhor momento da carreira, acabou tendo a sequência interrompida. Naquela temporada de 2019, o meia jogou 39 partidas. No ano seguinte, bateu o recorde de 40 partidas na temporada, que se encerrou atipicamente em 2021. Neste ano, até o momento, tem oito jogos disputados.

A importância de Jean Pyerre cresce à medida em que o Grêmio não tem um substituto com as mesmas características no elenco. A direção, inclusive, está no mercado em busca de um meia-atacante que possa exercer a função de ser o principal articulador da equipe. O jovem Pedro Lucas, oriundo da base e que está no grupo profissional, ainda carece de amadurecimento, já que tem 18 anos.



Veja também