O Grêmio anunciou o retorno do técnico Felipão após seis anos. Luiz Felipe Scolari, de 72 anos, substitui o demitido Tiago Nunes e irá para sua quarta passagem como treinador do Tricolor. A última ocorreu entre 2014 a 2015. O vice de futebol Marcos Herrmann anunciou em entrevista após a derrota para o Palmeiras.

— Quero fazer a comunicação oficial, Luiz Felipe Scolari é o novo treinador do Grêmio, vai ser acompanhado pela Paulo Turra e Carlos PRacidelli e seus auxiliares e também pelo Thiago Gomes, nosso assistente do clube, que fazemos grande expectativa. E a manutenção do Reverson na preparação física — disse Herrmann.

Depois da passagem pelo Grêmio, Felipão comandou o Guangzhou Evergrande, da China, por três temporadas. Só então retornou ao Brasil para ser técnico do Palmeiras, onde foi campeão brasileiro em 2018 e saiu do clube na temporada seguinte.

Seu último clube foi o Cruzeiro. Anunciado em outubro de 2020, com contrato até 2022, Felipão deixou o clube em janeiro deste ano. O treinador salvou a Raposa de um rebaixamento à Série C, mas não conseguiu o acesso. Foram 21 partidas, somando nove vitórias, oito empates e quatro derrotas.

felipão grêmio juventude arena gauchão — Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

felipão grêmio juventude arena gauchão — Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Essa será a quarta passagem de Felipão pelo Grêmio. A primeira foi em 1987, quando foi campeão gaúcho. Retornou ao Tricolor em 1993, depois de ter conquistado a Copa do Brasil com o Criciúma em cima do próprio Grêmio.

O técnico teve um início complicado na segunda vez no time gremista, mas sua permanência foi bancada pelo presidente na época Fábio Koff. O resultado da insistência deu certo: Felipão venceu a Copa do Brasil de 1994, a Libertadores de 1995 e o Brasileirão de 1996.

A última vez no comando do Tricolor foi em 2014, perdurando no até maio de 2015. Na passagem, foram 51 jogos, com 26 vitórias, 12 empates e 13 derrotas (aproveitamento de 58,8%).

Na carreira, Felipão ostenta a conquista da Copa do Mundo de 2002 pela Seleção. Também esteve à frente da conquista da Copa das Confederações de 2013.

Recentemente, sua trajetória foi manchada pela derrota trágica de 7 a 1 com a Seleção para a Alemanha, na semifinal do Mundial. O comandante se despediu da equipe brasileira após a derrota perante a Holanda, que culminou com o quarto lugar na Copa.



Veja também