Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Artilheiro do Grêmio nos dois últimos anos e peça fundamental da Seleção Brasileira na conquista da Copa América 2019, Everton segue na mira de diversos clubes da Europa. Em entrevista à rádio italiana Si Gonfia la Rete, o presidente Romildo Bolzan admitiu que a multa rescisória é de 80 milhões de euros (R$ 446 milhões de reais) e que não irá “trancar” a carreira do atacante de 24 anos.

— Sabemos que é uma classificação muito alta e não pretendemos cortar as asas do garoto, portanto, estamos dispostos a negociar se ele expressar sua vontade de mudar para algum clube em particular — respondeu sobre uma eventual oferta.

Porém, o presidente garante não ter recebido nada pelo atacante. Ainda assim, em função do atual cenário econômico gerado pela pandemia de coronavírus e também a vontade do atleta, admite negociá-lo por valor abaixo da multa rescisória.

— Estamos prontos para avaliar valores mais baixos do que os da cláusula, estou ciente de que o coronavírus mudará o mercado, mas você não pode iniciar uma negociação a menos que primeiro apresente uma proposta oficial (ao Grêmio) e uma proposta oficial para o Everton. Repito, isso nunca aconteceu — relatou Bolzan.

O único contato admitido pelo presidente é o do Everton-ING. De acordo com Bolzan, a ligação foi feita diretamente pelo comandante dos ingleses, Carlo Ancelotti, ao jogador.

— O próprio Ancelotti entrou em contato com ele. O Everton se retirou antes mesmo de fazer uma oferta real. Pelo que me disseram, foi por causa de algumas questões financeiras justas nessa fase. Vamos ver se eles tentam retomar a discussão no futuro — finalizou.

Em 2019, Cebolinha estendeu o vínculo com o Tricolor até 2023. Atualmente, ele é titular absoluto da equipe de Renato Portaluppi e faz parte do elenco da Seleção Brasileira.



Veja também