Foto: Eduardo Moura

A derrota para a Chapecoense aumentou a defasagem de pontos do Grêmio na Série B. O Tricolor largou a competição com cinco pontos de desvantagem em relação à projeção e ligou um alerta mesmo depois de só duas rodadas.

O Grêmio acabou a segunda rodada da Série B dentro da zona de rebaixamento, com um ponto ganho. É o atual 17º colocado na tabela, acima apenas de Guarani, Ponte Preta e Náutico. Embora o 13º também tenha um ponto, como os gremistas. Mas a simbologia do início ruim acaba por remeter ao ano passado.

A comissão técnica dividiu a competição em blocos de seis jogos e deixou fora os duelos com Tombense e Brusque, dois últimos na competição. A projeção de pontos conquistados dentro de cada bloco varia, mas gira próximo dos 60%.

O vice de futebol Denis Abrahão admitiu que a pontuação está bem abaixo do projetado antes do início da competição – ele contabilizava mais cinco pontos neste momento. O dirigente abriu que havia previsto 18 vitórias para o Tricolor na competição, 14 empates e apenas seis derrotas, um total de 68 pontos.

Te confesso que está muito longe da nossa projeção. Cada um de nós tem a sua pontuação, a minha está longe, pois esperava ganhar da Ponte Preta, e esperava ganhar hoje, então está defasado em cinco pontos. Dá para buscar, mas tem que arrancar já. O sinal de alerta está aceso, sim.
— Denis Abrahão, vice de futebol

A arrancada tricolor na Série B deixou a preocupação em torcida e diretoria. O próprio técnico Roger Machado também afirmou depois da derrota de sexta-feira que os pontos perdidos foram “preciosos”. Os próprios jogadores, ao deixar o gramado da Arena para o vestiário, trataram desta maneira.

O problema no ataque lidera a preocupação. O lateral Edilson chegou a citar “toquinhos”. Além da derrota, o Tricolor teve também o empate com a Ponte Preta, na primeira rodada, quando criou e não conseguiu finalizar.

Temos que absorver e saber que a Série B é diferente. A maioria dos adversários vão vir como vieram, por uma bola e um contra-ataque. Quando pegar retrancas, tentar concluir e fazer o gol. Temos que matar o jogo. A gente está em um começo de Série B, temos que melhorar a nossa finalização, melhorar para que a gente possa criar e afzer os gols. Às vezes um toquinho a mais acaba o adversário chegando – apontou Edilson.

A reação é vista como fundamental contra o Guarani, na próxima quinta, novamente na Arena. O elenco ainda está de folga neste domingo, mas treinou no sábado com a presença de Diego Souza, que deve ser reforço.



Veja também