Foto: Arte

De um lado, o trabalho mais longevo do Brasil com mais de três anos. De outro, um recém-iniciado que irá para seu terceiro jogo no comando, logo um clássico. O Gre-Nal deste domingo, às 18h, na Arena, põe frente a frente momentos distintos dos trabalhos de Renato Gaúcho, já consolidado no Grêmio, e de Zé Ricardo, este um treinador contratado para fechar os últimos meses de 2019.

Atualmente, o Grêmio é o quinto colocado do Brasileirão, com 47 pontos, enquanto o Inter vem logo atrás, na sexta posição, com 46. Ou seja, o clássico ganha peso na disputa direta pela Libertadores, seja pelo G-4 ou G-6.

Ídolo máximo

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Maior ídolo gremista e com conquistas recentes, Renato jamais viu seu cargo ser colocado em risco desde setembro de 2016, quando assumiu para sua terceira passagem no comando do Grêmio. Acumulou títulos como a Copa do Brasil e a Libertadores, atingiu marcas históricas e elevou seu nome no mercado de treinadores. Sua carreira deu um salto no abraço do Grêmio.

A solidez do trabalho trouxe títulos e uma calmaria rara dentro do futebol brasileiro. Contrasta bastante com a atual fase do Inter e de Zé Ricardo. Com dois jogos no comando do clube, aceitou um contrato curto, até o final de 2019, sem multa rescisória ou cláusula de renovação automática.

Uma vitória em clássico coroaria a redenção do grupo gremista depois da eliminação da Libertadores com direito a goleada por 5 a 0 para o Flamengo. Desde então, o Grêmio conquistou vitórias sobre Botafogo e Vasco.

O “novato”

Zé Ricardo vai para o terceiro jogo no comando do Inter  — Foto: Ricardo Duarte/Inter

Zé Ricardo vai para o terceiro jogo no comando do Inter — Foto: Ricardo Duarte/Inter

Desde a chegada de Zé Ricardo, o Inter venceu o Bahia na Fonte Nova e empatou com o Athletico no Beira-Rio. Uma vitória sobre o maior rival significaria um fôlego a mais a Zé Ricardo nos seus primeiros passos, além de fazer o Colorado ultrapassar o rival na tabela e ter a possibilidade de entrar no G-4 do Brasileirão.

Ainda que consiga bons resultados, a tendência é que Zé Ricardo não permaneça em 2020. Conforme apurou o GloboEsporte.com, o Inter já tem um acordo alinhavado com Eduardo Coudet, técnico do Racing e alvo anterior a Zé. O argentino, inclusive, avisou na última semana que deixará o clube em dezembro.

Bons de clássico

Os números de Zé Ricardo em clássicos no Rio de Janeiro animam os colorados. No total, comandou Flamengo, Vasco ou Botafogo em 33 clássicosSão 12 vitórias, 14 empates e sete derrotas, com aproveitamento de 50,5% e até título. Pelo Rubro-Negro, o técnico foi campeão carioca em 2017 após bater o Fluminense na final. E das 12 vitórias, sete foram como visitante, condição deste domingo.

Renato, por outro lado, ainda não perdeu Gre-Nal dentro da Arena em seu retorno ao Grêmio — são seis clássicos, com duas vitórias e quatro empates e o Gauchão de 2019 conquistado após vitória nos pênaltis. O Tricolor não perde para o maior rival no seu estádio desde 2014 e não leva gols no local desde 2017.



Veja também