Foto: Vinícius Costa/BP Filmes

A contratação de um atacante renomado, um “fazedor de gols” de qualidade indiscutível, ou então daquele meio-campista que resolve os jogos, vai depender de um fator: a saída de Diego Tardelli. O Grêmio não tem como manter o jogador no grupo e ainda agregar outro atleta com vencimentos no mesmo patamar. E quem confirma esse cenário é o presidente Romildo Bolzan Júnior. 

“O que pode acontecer, em ele ficando, é nós não trazermos mais ninguém, porque não tem condições de sobrepor salários”, afirma o presidente. “O Tardelli não foi bem, não desempenhou para nós e nem para ele. Estamos repetindo o que o próprio jogador disse. Ele também não se sentiu satisfeito com os desempenhos que teve conosco. É uma situação que tem de ser pesada”, admite o mandatário do Grêmio. “Ele tem um contrato longo com o clube (até dezembro de 2021). Ficando conosco, temos que dar todas as condições para ele deslanchar, não tem o que fazer. Ninguém vai botar dinheiro fora”, acrescenta.

É nítida a insatisfação com a produção do jogador nesta temporada. O custo-benefício foi alto demais. Se permanecer, Tardelli terá de dar uma resposta positiva em campo. “Ele foi um investimento que o clube fez e desembolsa mensalmente uma situação importante. Isso significa que, ele sendo jogador do Grêmio e ficando conosco, vamos dar suporte para que ele jogue e recupere aquela bola que todo mundo esperava que ele jogasse e ainda não jogou”, destaca Romildo Bolzan. “Se ele ficar, não temos condições de contratar para esta posição. Se não ficar, vamos ter que repor”, completa. 

O recado do presidente deixa clara uma postura do Grêmio. A saída de um jogador com alto salário é condição para a vinda de outro atleta do mesmo nível. E aí também pode ser levada em consideração uma possível saída de Luan para o Corinthians. Ao contrário de Tardelli, este é um jogador que goza de prestígio com a torcida. Mas que nos últimos dois anos também retribuiu pouco em relação à valorização que o clube lhe proporcionou. 

“Nos últimos dois anos o Luan praticamente não jogou, isso depreciou seu preço. Se tiver uma proposta pelo Luan que seja atrativa para o clube e para ele, nós vamos examinar. Têm certos momentos em que é importante examinar isso porque talvez ele vá produzir mais em outro lugar”, comentou Bolzan. 

O presidente não confirmou que o jogador esteja próximo de se transferir para o Corinthians e não afastou a possibilidade de permanência. “É um jogador que precisa retomar toda sua capacidade física, toda sua capacidade de jogar bola e se constituir em um jogador importante, que resolve a nossa vida, que decide os jogos e tem essa empatia com a torcida e o clube, isso que a gente deseja. O Grêmio pensa em ficar com ele, recuperá-lo e ter ele no grupo. Mas ao mesmo tempo, se tiver um negócio importante para as duas partes, vamos realizar também”.

A necessidade de vender um jogador em breve para iniciar o próximo ano de forma mais tranquila foi outro ponto abordado por Bolzan. As especulações em relação às vendas ainda não se intensificaram por causa da abertura da janela de transferências para os principais mercados europeus, o que ocorre em janeiro. Everton segue sendo o “melhor produto” do Grêmio para uma futura venda. “Temos muitas consultas, mas nada firme e que indique uma situação de negócio. É um dos melhores da América. Para levar um jogador desse porte, tem um valor a ser pago”, finalizou o presidente. 



Veja também