Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

A vitória sobre o Ypiranga deu um novo ânimo ao Grêmio após a pancada sofrida no Gre-Nal. A recuperação, embora longe de ser definitiva, tem em Campaz um nome relevante. O colombiano se tornou o maior finalizador do Tricolor no Gauchão, fez um gol olímpico e cumpriu mais funções defensivas com Roger. Para usar uma expressão empregada pelo técnico, “se libertou”.

Campaz convive com todo o peso de ser a maior contratação da história gremista. Os R$ 21 milhões aumentam a régua no momento de analisar o meia. Mas após três jogos como titular com Roger, o camisa 7 aparentou estar mais confortável dentro do sistema. O gol olímpico, o segundo da história da Arena, foi uma solução improviso que abriu o jogo para o Tricolor, por exemplo.

O Grêmio variou em um meio-campo com Villasanti centralizado, Bitello e Campaz como meias e Janderson e Gabriel Silva abertos pelas pontas. E mais constantemente esteve Campaz mais avançado, próximo de Elias, com os dois volantes alinhados.

O colombiano chegou a inverter com Janderson em determinado momento do jogo e ser o ponta pela direita, com o companheiro centralizado. As obrigações defensivas, na visão de Roger, deixaram o jogador mais ligado na partida.

Se libertou algumas vezes no campo. (…) Ele esteve solto para jogar, se aproximando da área. O fato dele participar do processo defensivo, encurtando rápido para fechar o passe e um jogador mais forte para marcar, ajudou a manter concentrado. Um jogador como ele concentrado no processo defensivo, estará mais concentrado para atacar – apontou Roger.

O meia foi, inclusive, citado em uma pré-lista da Colômbia para os jogos das Eliminatórias. No entanto, a convocação oficial ainda não foi divulgada. Se realmente for chamado, Campaz fica fora do segundo Gre-Nal da semifinal do Gauchão e pode também ser desfalque de uma eventual primeira final.

Na vitória sobre o Ypiranga, Campaz se adaptou bem a esses movimentos. Tanto que foi o jogador com mais levou perigo ao adversário. Além do gol olímpico, foram sete finalizações, o maior número gremista – é também o líder do quesito do clube gaúcho no Gauchão.

Acertou o travessão e ainda foi o responsável pelo passe que deixou Bitello em boas condições para fazer o chute de fora da área. Acelerou a triangulação pela meia esquerda com um passe vertical para o volante.

Campaz ainda patina no Grêmio em busca de uma afirmação maior. Contratado durante o ano passado, o meia-atacante custou R$ 21 milhões e se tornou a contratação mais cara do Tricolor. Mas não conseguiu ser titular absoluto, com sequência, desde a chegada. É o que procura no momento.

O Grêmio volta a treinar na tarde desta segunda-feira e inicia a preparação para o Gre-Nal do próximo sábado.



Veja também