Foto: Colagem sobre fotos de Luca Uebel / Grêmio / Divulgação / CP

Eleitos como a melhor dupla de zaga do continente em 2017, Geromel e Kannemann completarão a temporada de 2020 com a menor participação em campo desde que viraram titulares do Grêmio. Mesmo que o argentino atue em todos os nove compromissos gremistas que restam, não alcançará 50% de presença nos 74 jogos. Além das preservações focando a Copa do Brasil e Libertadores, lesões, a pandemia e convocações da Argentina também afastaram os defensores das partidas gremistas.

Geromel esteve em campo em 32 dos 74 jogos da temporada 2020. Isso significa 43,2% de presença do zagueiro. O pior índice de atuação dele até agora tinha sido em 2017, com 46 de 79 jogos (58,2%). Caso entre em campo em todas as nove partidas restantes, Kannemann pode chegar a 38 aparições, ou seja, 51,3%. A porcentagem de jogos é menor do que os 56,1% de presença do argentino em campo em 2019, pior marca até aqui.

Na temporada anterior, em 2019, Geromel esteve em campo em 43 das 73 partidas do Grêmio. Agora, a lesão no tornozelo sofrida Gre-Nal do dia 24 o tira de combate pelo resto da temporada tendo atuado em 32 dos 65 jogos. É o azarado desfecho de um ano futebolístico que começou com cirurgia para o zagueiro. Uma artroscopia no joelho fez com que o capitão pudesse entrar em campo pela primeira vez apenas no final de fevereiro, na vitória por 3 a 0 sobre o Juventude, pelo Gauchão.

Kannemann jogou 41 vezes em 2019 e poderá atuar, no máximo, em 38 de 74 oportunidades na temporada 2020, caso esteja em campo nas nove partidas que faltam. A primeira lesão dele foi ainda em janeiro. Uma pancada no dedão do pé esquerdo, em jogo contra o São José, pelo Gauchão, precisou ser tratada com cirurgia. O zagueiro ficou de fora por um mês (cinco jogos), na mesma época que Geromel se recuperava da artroscopia. A primeira partida dos dois juntos em campo foi apenas em julho, no Gre-Nal da volta do futebol pós paralisação da pandemia.

Cabe ressaltar, ainda, que o argentino desfalcou a equipe em outros 13 jogos por ter sido convocado para a seleção duas vezes. A participação nas eliminatórias e amistosos em setembro e novembro o tirou de mais jogos do Grêmio por conta de desgaste muscular. Em 2019 ele também vestiu a camisa da Argentina. Porém, na ocasião, desfalcou o Tricolor apenas contra o Flamengo pelo Brasileirão.

A nível de comparação em 2020, o reserva David Braz soma 38 aparições em campo, mais do que os dois titulares da defesa. Geromel, 35 anos, e Kannemann, 30, jogaram 17 vezes juntos na atual temporada, enquanto em 2019 formaram dupla de zaga em 31 das 73 partidas daquele ano.

A excepcionalidade da temporada também os atrapalhou. A dupla testou positivo para covid-19 na mesma época, ao final de setembro, desfalcando o Tricolor do confronto contra a Universidad Católica pela quinta rodada da Libertadores e do Gre-Nal do Brasileirão.

Os números na temporada 2020

Geromel 

32 de 65 jogos (2658 minutos) / 31 como titular
16 vitórias
11 empates
5 derrotas

Tempo sem jogar: 40 dias por artroscopia em janeiro, 28 dias por covid e dores musculares entre setembro e outubro, 30 dias por outro problema muscular (de 23 de dezembro de 2020 a 24 de janeiro de 2021).

Kannemann

29 de 65 jogos, todos como titular (2470 minutos)
12 vitórias
13 empates
4 derrotas

Tempo sem jogar: 43 dias entre janeiro e fevereiro por lesão e cirurgia no pé esquerdo, 17 dias por contratura muscular na coxa em setembro, 15 dias por covid entre 29 de setembro e outubro, três rodadas do Brasileirão em outubro e 10 jogos entre novembro e dezembro por conta das convocações para a seleção argentina.



Veja também