O ataque do Grêmio ganhou uma cara nova contra o Guarani. Gabriel Teixeira foi o escolhido de Roger para substituir Ferreira e soube aproveitar a oportunidade. Na vitória por 3 a 1, deu assistência para o primeiro gol, fez a movimentação tão pedida pelo comandante no segundo e se coloca de vez na briga por vaga no time titular.

Na última quinta-feira, Gabriel começou pela primeira vez uma partida com a camisa do Grêmio. Na ausência do camisa 10, com desconforto muscular, o meia assumiu a responsabilidade do lado esquerdo e demorou pouco para se mostrar.

Logo nos primeiros segundos de jogo, Biel roubou a bola do lateral-direito Diogo Mateus, partiu em direção ao gol e serviu Diego Souza, que abriu o placar com um minuto de jogo. Foi a primeira vez que os dois atuaram juntos em campo.Eu particularmente gostei da minha atuação, mas existe alguns detalhes que posso melhorar, e estou trabalhando para isso. Fui feliz em dar uma assistência ao Diego Souza, e vou continuar mantendo o meu pensamento em sempre ajudar o Grêmio em seu desafio do ano. “— Gabriel Teixeira ao ge

No segundo gol, Bitello acionou Nicolas, que cruzou na medida para o centroavante marcar de cabeça. O camisa 17 não teve participação direta, mas foi fundamental aos olhos do técnico.

Entrou na área em velocidade na direção da primeira trave (veja no vídeo abaixo). Isso puxou a marcação do Guarani para mais perto do gol e deixou Diego Souza sozinho para balançar a rede. Um movimento pedido por Roger.

– O segundo gol, fundamental a puxada de primeiro pau do Biel. O Diego inteligente só parou na marca do pênalti. Centroavante mais veterano escolhe a marca de pênalti e segundo pau. Isso a gente vem trabalhando, que precisamos “matar” o primeiro pau. E posso preencher a área pra ter mais chance de fazer o gol – analisou o treinador.

Além de participar dos gols, Gabriel Teixeira mostrou versatilidade para atuar em diferentes regiões do campo. No intervalo do jogo, Elias entrou no lugar de Campaz e trocou de lado com o Biel, que passou a jogar pelo lado direito. Além disso, a comissão técnica também considera escalar o jovem pelo meio.

Foi pela direita que aos dois minutos da etapa final, o meia-atacante disparou ainda do campo de defesa, ganhou no mano a mano com o marcador e serviu Elias, que perdeu a chance de frente para o goleiro.

Durante a entrevista, Roger também usou Biel como exemplo ao cobrar que jovens procurem mais orientações para evoluir. Elogiou a capacidade de finalização do jovem, mas afirmou que as tomadas de decisão podem melhorar.

– Na semana falei para o Gabriel: “tu bate bem na bola, mas por vezes as escolhas não são as melhores”. Tem que trabalhar. Mas digo, não sou babá de jogador, sou treinador. A comissão está à disposição. Identificamos a necessidade e vamos trabalhar, mas depende do atleta em interesse de evolução na profissão – explanou o comandante.

Gabriel Teixeira na vitória do Grêmio diante do Guarani — Foto: Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio

Gabriel Teixeira na vitória do Grêmio diante do Guarani — Foto: Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio

Enquanto Ferreira estiver fora, o meia parece ter cavado presença no time de Roger. Porém, mesmo quando o camisa 10 retornar, Biel surge como opção também para a vaga de Campaz.

A contratação de Gabriel Teixeira foi um pedido particular de Roger Machado. Os dois trabalharam juntos no Fluminense em 2021. Foi o próprio treinador que deu as primeiras chances ao jogador no time profissional do clube.

Durante a semana, Gabriel Teixeira estará em campo novamente e, provavelmente, entre os onze iniciais. Os jogadores treinam nos próximos dias no CT Luiz Carvalho e viajam na segunda-feira para encarar o Operário-PR, pela quarta rodada da Série B do Brasileiro.



Veja também