Foto: Lucas Uebel / Grêmio / divulgação

O futuro de Michael Arroyo parece muito longe do Grêmio em 2018. Embora o equatoriano ainda tenha contrato com o clube gaúcho, está fora nos planos e já sabe que não seguirá em Porto Alegre. O provável destino é o México, onde teve bom rendimento e passou a maior parte de sua carreira. Nem o próprio atleta sabe explicar o desempenho ruim no Brasil.

Arroyo tinha o sonho de atuar no futebol brasileiro. Por isso, de certa forma, se frustra com o baixo aproveitamento e não entende o baixo rendimento. A adaptação foi um dos pontos citados como complicadores para o equatoriano no país para conseguir desenvolver seu futebol. Pelo Grêmio, atuou sete vezes e não marcou nenhum gol.

Conforme apurado pelo GloboEsporte.com, Arroyo viveu uma crise de confiança. Sua saída não tem a ver com a falta de espaço. Mas com uma questão do próprio jogador, que se sentiu diferente em relação a outros momentos da carreira. Não estava bem. Mesmo que tenha considerado o Grêmio um grande clube, com jogadores espetaculares e um grupo unido, além de elogiar Renato Gaúcho.

O Grêmio não tem nenhuma proposta pelo meia-atacante. Mas é certo que ele não está nos planos para o próximo ano, assim como já não estava neste fim de temporada. Não viajou com o grupo para Buenos Aires, onde o Grêmio foi campeão da Libertadores, nem esteve no grupo no Mundial de Clubes.

No Equador, circulou a informação que Arroyo iria para o Barcelona, de Guayaquil, em uma possível troca pelo centroavante Jonathan Álvez. O Grêmio negou interesse no uruguaio, enquanto uma pessoa próxima do equatoriano disse que seu destino não deve ser o seu país natal. Por isso, o México surge como principal mercado para ter Arroyo. No país, o meia-atacante jogou no América, de 2014 até o meio deste ano, no Atlante e no San Luís.

O Grêmio buscou Michael Arroyo em junho deste ano. Inicialmente, ele era opção para o lado esquerdo ofensivo do ataque e considerado alternativa para a saída de Pedro Rocha. No entanto, não conseguiu se firmar nas (poucas) chances recebidas. Ele é agenciado pelo mesmo empresário de Miller Bolaños, que deixou o clube em agosto para o Tijuana, no México. Seu vínculo com o Grêmio é até dezembro de 2019.



Veja também