Os minutos passavam rumo a um fim de noite tranquilo, apesar do frio, na terça-feira. O Grêmio ganhou do Vitória sem brilho, mas com facilidade mesmo no 1 a 0, e confirmou presença nas quartas de final da Copa do Brasil. Mas o assunto, como num passe de mágica, se tornou o atacante Ferreira, que vai para o Atlanta United, dos Estados Unidos.

A informação do pagamento da multa rescisória do atacante por parte do clube norte-americano ocorreu no meio do jogo do Tricolor. Depois da partida, no melhor estilo Felipão, o técnico revelou que o atacante havia faltado a três sessões de fisioterapia para a lesão no joelho direito.

O atacante, por outro lado, garante já estar recuperado do problema na articulação. Fez nos últimos dias tratamento com médico e fisioterapeuta particular contratados.

— Não sei (sobre a saída de Ferreira). Sei que nos últimos três ou quatro dias, ele não apareceu para fazer tratamento. O que houve, não sei. Não vou na casa dele. Não farei isso. No final do mês o salário é depositado. Portanto, o que pode haver é que quem quer ficar no Grêmio, estamos recebendo de braços abertos — disparou o comandante em entrevista coletiva.

Quem não quer trabalhar por não ter carinho especial pelo Grêmio, então a gente vai ver o que vai acontecer. Realmente não sei o que está acontecendo sobre (Ferreira) sair ou ficar no clube.— Felipão

Ferreira não joga mais pelo Grêmio  — Foto: Eduardo Moura

Ferreira não joga mais pelo Grêmio — Foto: Eduardo Moura

A ausência do atleta no CT Luiz Carvalho inclusive gerou ruído interno no clube. O vice de futebol Marcos Herrmann admitiu o problema e tratou-o como “falha grave”, já que o departamento e o treinador não foram inicialmente avisados sobre as faltas de Ferreira.

— Ele (Ferreira) esteve ausente do departamento médico. Se não é passado, não tem como saber. Treinador não sabia. Nem sempre passamos no departamento médico. Infelizmente recebemos essa informação de que fazia três dias que não passava por lá. É uma falha de comunicação grave, tem um erro e vamos trabalhar nesse sentido — assegurou o dirigente.

Como chegou a proposta

Porém, nos camarotes da Arena já circulava a confirmação da saída de Ferreira. Um dia antes do jogo, na segunda-feira, o atacante esteve no estádio com o seu empresário Pablo Bueno para uma reunião com Herrmann. No encontro, o Grêmio externou que não tinha a intenção de negociá-lo no atual momento.

Além do Atlanta, o Al Ain, dos Emirados Árabes, estava na jogada e prometia aumentar a oferta antes recusada pelo Grêmio. O clube da MLS, então, resolveu fazer o pagamento da multa de 8 milhões de euros (cerca de R$ 49 milhões).

O valor considerado baixo ainda é resíduo da polêmica anterior entre as duas partes, quando Ferreira chegou a ficar afastado do grupo enquanto não renovava o contrato. Naquelas reuniões, ficaram definidas multas diferentes, dependendo do mercado a ter interesse no atacante.

— Há dois anos, o representante do Ferreira não quis renovar o contrato. Até que o CEO Carlos Amodeo conseguiu se aproximar do empresário e fazer esse contrato com uma multa pequena, mas antes não tinha nenhuma. Naquele momento, pelo contexto, entendemos como uma vitória — lamentou Herrmann.

O afastamento e a multa

Ferreira foi afastado pelo Grêmio em 2020 por não aceitar as propostas de renovação contratual. Chegou a acionar o clube na Justiça pedindo a liberação, o que não foi atendido. Foram oito meses de conversas até que houvesse uma evolução.

E isso só foi possível após uma série de dificuldades na negociação. O empresário Pablo Bueno teve rusgas com o executivo gremista na época, Klauss Câmara, e o então vice de futebol Paulo Luz.

As conversas só avançaram quando o CEO, Carlos Amodeo, entrou no circuito. O empresário Marcelo Pacheco também ajudou na reaproximação das duas partes. Mas, para assinar a renovação, o agente exigiu baixar o valor da multa rescisória.

Ferreira na chegada do Grêmio ao estádio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Ferreira na chegada do Grêmio ao estádio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

As manifestações depois da vitória do Grêmio irritaram o estafe do jogador, que chegou a ironizar o departamento de futebol do clube em redes sociais. Ferreira deve viajar nos próximos dias para os Estados Unidos.

Ao mesmo tempo, qualquer quantia passa a ser lucro para o Grêmio. Ferreira ficou longe dos holofotes por diversos momentos em sua formação no clube. Foi emprestado para clubes menores como São Luiz, Aimoré e Cianorte.

Já havia sido liberado para procurar um novo lugar para jogar quando o empresário Pablo Bueno assumiu a gestão da carreira, fez um tratamento particular para curar dores no pé direito e pediu uma oportunidade no time sub-23. Em 2019, o atacante brilhou na categoria e passou a chamar atenção.

Ferreira deixa o Grêmio com 75 jogos e 16 gols marcados. Sua última vez em campo pelo Tricolor foi no Gre-Nal do primeiro turno do Brasileirão, empatado em 0 a 0, na estreia de Felipão, quando se machucou. Na atual temporada, participou de 30 partidas, com 11 gols e sete assistências — era o vice-goleador da equipe em 2021.



Veja também