Enfim, o agora ex-zagueiro Gabriel e o Grêmio encaminharam um acordo. Sem jogar desde 2013, o ex-atleta se tornará um assistente administrativo das categorias de base do clube gaúcho. O acerto foi costurado nos últimos dias após uma reunião na semana passada.

Assim, Gabriel dá os primeiros passos como assistente administrativo para iniciar uma nova carreira. O ex-zagueiro cursa Administração e pretende seguir carreira dentro do futebol em gestão. As conversas se encaminhavam para um acerto em março, mas a pandemia do novo coronavírus atrasou tudo.

O encontro entre o agente Ricardo Mello e o CEO do clube, Carlos Amodeo, encaminhou uma proposta já havia agradado ao ex-jogador. Os últimos ajustes estão em andamento para ajustar e assinar o acordo.

Gabriel na reapresentação do Grêmio em 2020 — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Gabriel na reapresentação do Grêmio em 2020 — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Gabriel estava sem contrato com o Tricolor desde dezembro, quando seu vínculo com o clube expirou. Haveria uma renovação por três meses, mas isso não ocorreu. Na prática, o agora funcionário não recebia nada do Grêmio desde dezembro.

Relembre o caso

Gabriel chegou ao Grêmio em 2013, após destacar-se no Gauchão pelo Lajeadense. Então com 24 anos, sofreu lesão ligamentar no joelho esquerdo durante um rachão em Salvador, às vésperas da partida contra o Vitória, pela 23ª rodada do Brasileirão do mesmo ano.

A previsão de retorno era entre seis e oito meses, mas ele nunca mais pisou em um estádio de futebol para atuar. Após a cirurgia no local machucado, teve uma complicação por conta de infecção na articulação e precisou passar por outros quatro procedimentos no mesmo joelho.

Gabriel levanta taça da Copa do Brasil com Maicon — Foto: Jefferson Bernardes / AFP

Gabriel levanta taça da Copa do Brasil com Maicon — Foto: Jefferson Bernardes / AFP

O Grêmio manifestou-se oficialmente poucas vezes nos últimos seis anos a respeito do caso. O contrato do jogador encerrou no final de 2019. Em 2016, Gabriel foi chamado por Maicon e Marcelo Grohe para levantar a taça da Copa do Brasil na Arena justamente pelas dificuldades pelas quais enfrentou após as cirurgias.



Veja também