A história e amor que Renato Gaúcho e Grêmio nutrem um pelo outro construíram um ciclo vitorioso. O técnico reitera ser movido a desafios e o quanto é obsessivo em conquistar títulos e ampliar sua idolatria pelo clube do coração.

Envolto em metas, Portaluppi tem mais um fator motivacional para tirar o time da zona de rebaixamento do Brasileirão neste final de semana. Caso consiga os três pontos diante do Bahia, em Pituaçu, alcançará a 100ª vitória pelo Tricolor nesta terceira – e recheada de conquistas – passagem.

O “Homem-Gol” retornou ao time em 2016 para substituir Roger Machado, curiosamente o rival deste sábado e outro técnico com passagem de destaque pelo Grêmio como jogador. Em dois anos e oito meses, retirou o clube da fila das conquistas importantes com a Copa do Brasil.

Ainda levantou outras cinco taças – Libertadores, Recopa, Gauchão (duas vezes) e Recopa Gaúcha. Não à toa, realizou o sonho de ter uma estátua com suas feições como atleta construída e instalada na esplanada da Arena.

Estátua de Renato Gaúcho está instalada na Arena do Grêmio — Foto: Diego Vara/BP Filmes

Estátua de Renato Gaúcho está instalada na Arena do Grêmio — Foto: Diego Vara/BP Filmes

Rento conseguiu implantar um futebol que encantou o país, com solidez defensiva, troca de passes envolventes e poderio ofensivo – algo que tenta retomar atualmente. Nomes como Pedro Geromel, Everton e Kannemann viraram presenças frequentes nas seleções de Brasil e Argentina.

Maicon, além da liderança como capitão, virou quase um regente da orquestra tricolor, com seus passes precisos. O treinador ainda buscou jogadores sem tanto alarde e os tornou importantes, como Léo Moura, Paulo Victor, Michel, Bruno Cortez e Jael. Lapidou e deu protagonismo a nomes como Arthur, Matheus Henrique, Pedro Rocha, Luan e Everton.

“Agradeço ao presidente, à diretoria e ao torcedor que me deram força para trabalhar. No futebol, lógico que os resultados são o que interessam, e isso temos conseguido. No Brasil, a pressão ao treinador é muito grande” (Renato)

Busca por recuperação

Diante da marca de 99 vitórias desde 2016 sentado no banco de reservas tricolor, o exigente treinador anda inquieto. Em seis jogos pelo Brasileirão, venceu apenas uma partida, na semana passada, diante do Atlético-MG.

Embalado pelo 3 a 0 sobre o Juventude, na quarta-feira, com classificação às quartas de final da Copa do Brasil, tentará engatar o terceiro triunfo consecutivo no sábado, às 19h, contra os baianos.Renato conversa com jogadores em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Renato conversa com jogadores em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

A configuração atual da tabela da Série A mostra o Grêmio em 18º, com cinco pontos. O próprio Renato, por conhecer a força do vestiário aliada a todas conquistas, sabe que há mais a oferecer.

– Falta bastante coisa. Fico feliz que temos conseguido atingir metas. Mas eu conheço (o time) e vocês (jornalistas) também. Sei que o Grêmio precisa melhorar. Fico tranquilo porque sei que estamos devendo. Temos essa consciência – analisa.

A 3ª passagem de Renato*

Ano Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento Gols pró Gols contra
2016 16 6 7 3 52,08% 15 11
2017 74 41 17 16 63,06% 117 56
2018 70 37 18 15 61,42% 105 48
2019 29 15 9 5 62,06% 55 15
Total 189 99 51 39 61,37% 292 130

* As vitórias sobre Cruzeiro (2 a 0, na semifinal da Copa do Brasil de 2016) e Pelotas (2 a 0, na primeira fase do Gauchão de 2019) ficaram fora da conta porque Renato não ficou no banco de reservas, substituído pelos auxiliares Alexandre Mendes e Victor Hugo Signorelli.

Um dos obstáculos enfrentados, principalmente neste início de Brasileirão, diz respeito aos problemas por lesão. O departamento médico vive lotado. Atualmente estão lá Paulo Miranda, Kannemann, Marcelo Oliveira, Bruno Cortez, Alisson e Luan. Há ainda as baixas de Everton e Matheus Henrique, a serviço das seleções principal e pré-olímpica, respectivamente.

Só que Renato não costuma se satisfazer com pouco. Tanto que traçou objetivos ousados até a parada para a disputa da Copa América: classificações às oitavas de final da Libertadores e quartas da Copa do Brasil, além de colocar o Grêmio mais próximo possível do G-4 no Brasileirão.Grêmio classificou-se para oitavas da Libertadores no último jogo — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Grêmio classificou-se para oitavas da Libertadores no último jogo — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

As duas primeiras metas já foram atingidas. Esta última é mais inglória, visto que só restam três jogos (Bahia, Fortaleza e Botafogo) e a equipe precisa descontar uma distância de seis pontos e há 14 times. O São Paulo é o atual quarto colocado, com 11 pontos.

– Temos um grande plantel, mas falta entrosamento. Isso faz a diferença. Ficaram mal acostumados com o Grêmio jogando bem. A parada será importantíssima, porque teremos tempo para treinar e recuperar os (jogadores) que estão no departamento medico. Voltaremos com força total – preconiza Renato.

O comandante gremista busca que os ares de Salvador influenciem positivamente o time. Em solo baiano desde a noite de quinta-feira, a delegação faz o único treino antes de enfrentar o Bahia na manhã desta sexta. O confronto será disputado às 19h de sábado, no estádio de Pituaçu.

 


Veja também