Em entrevista coletiva, Koff não confirma técnico, mas Roger e Renato são cogitados

29 de junho de 2013 - Às 18:21

Após a notícia bombástica da manhã deste sábado sobre a demissão do técnico Vanderlei Luxemburgo, o Grêmio já busca novo nome para comandar o time. E este novo comandante pode estar mais próximo do que se imagina.

Na entrevista coletiva deste sábado, o presidente do Grêmio Fábio Koff, ao ser perguntado sobre o novo técnico, comentou sobre Roger, atualmente auxiliar técnico e interino:
“Vai depender dele [Roger], da resposta que vai dar. Eu acho que ele se preparou. Viveu uma parcela da vida no Grêmio, é formado com o temperamento do clube. É um vencedor, que tem tudo para ser técnico do Grêmio. Vamos ver, porque nem o Chitolina [assessor de futebol], nem o Rui [diretor executivo de futebol] falaram com ele. Tem que ver se ele assume esta responsabilidade. Depende da reação na conversa com o departamento de futebol. Temos pelo Roger, além de respeito profissional, muito carinho“, elogiou Fábio Koff.
Roger é auxiliar técnico desde 2010. Neste ano, comandou o time B no Gauchão enquanto os titulares treinavam pela Libertadores.
“Eu não acho que o trabalho vá sofrer qualquer prejuízo seja com a interinidade do Roger ou com a contratação de um novo treinador. A história do futebol mostra que a mudança é boa para o grupo”, comentou o presidente.
Caso a direção opte por contratar novo técnico, Renato Gaúcho é o mais cotado e tem também, o apoio do torcedor:
“Para que ocorra a contratação de um treinador, diversos fatores precisam ser analisados. A disponibilidade, o mercado, o ajuste à filosofia que pretendemos no clube, ao futebol que queremos do time, o entrosamento conosco. A permanência do Roger, ainda que eventual, nos dá tranquilidade. Ele tem sua vida feita aqui e já substituiu o Luxemburgo. Conhece o grupo e os jogadores gostam dele. Vamos pensar com calma. A decisão não é tão urgente. Se ela surgir, não quer dizer que estou mentindo, mas que conseguirmos resolver um problema muito antes do esperado”, afirmou o mandatário que havia sido questionado sobre Renato Gaúcho.


Veja também