É Rodolfo, há muitas diferenças entre Porto Alegre e Moscou

4 de fevereiro de 2011 - Às 12:26
Rodolfo já escolheu apartamento e só espera a família em Porto Alegre
Rodolfo tem 28 anos, se acostumou ao frio do leste Europeu. Já enfrentou temperaturas de -28ºC, bem diferente de Porto Alegre, que chega facilmente aos 30ºC. Ao contrário de muita gente, ele não vê a hora da chegada do inverno.
– É impossível, não tem roupa, não existe nada que faça o ser humano suportar. Não dá para sair na rua. Mas em casa e em qualquer lugar, nos shoppings, por exemplo, tem calefação. Ainda assim é melhor que esse calorão, estou vendo até miragem na minha frente. Estou louco para o inverno chegar aqui. Comparado com o frio da Rússia, vou andar até sem camisa – disse, aos risos.
Sobre o trânsito:
– Porto Alegre é muito boa, é uma cidade compacta. Tudo é perto. Não tem trânsito. Lá em Moscou o trânsito é um caos. É só asfalto e cimento. Aqui tem natureza, tem o rio, tem os parques. Vai ser legal para as meninas – afirmou, para complementar sobre o trânsito:

– Em Moscou a gente não mede distâncias pelos quilômetros, mas pelo tempo. Eu morava a 28 quilômetros do CT, mas eu media a distância em uma hora e meia de trânsito. Aqui não, se o treino é às 8h30m eu saio do hotel às 7h50m e ainda chego antes.
(Não concordo muito com essa de que Porto Alegre não tem trânsito, mas tudo bem).
– É difícil morar no frio, mas a vida é muito boa em Moscou. Eu estava muito feliz lá, deixei as portas abertas, era o capitão do time. Como foi uma saída bem amigável, bem planejada, eles contam com a minha volta. Minha permanência aqui no Grêmio vai depender de mim e dos meus companheiros, dependerá do nosso trabalho, do nosso desempenho.
Espero que ele se adapte o quanto antes, pois ele será uma peça importante no time tricolor.


Veja também