O Grêmio de Renato ganhou identidade a partir de 2016 com uma característica: os toques curtos. Mas, paradoxalmente, venceu o Guaraní na noite de quinta-feira, no primeiro jogo das oitavas de final da Libertadores, em duas bolas longas. Jogadas semelhantes que mostram o potencial do time para se moldar ao contexto das partidas.

Os dois gols da 105ª vitória do clube na Libertadores têm um ponto em comum além dos lançamentos pelo alto. Encontraram a velocidade de Pepê, o escape do time especialmente para os momentos nos quais a vantagem já está acomodada no placar.

Aos 11 minutos do segundo tempo no Defensores del Chaco, o atacante aproveitou bola longa de David Braz às costas de Tripichio, entrou na área e ajeitou para o amigo Jean Pyerre abrir o placar.

Próximo do fim, foi um chutão de Vanderlei a procurar o jovem. A defesa tirou parcialmente, mas Churín encontrou o espaço vazio com uma cabeçada às costas da defesa. Pepê encobriu o goleiro e colocou o Grêmio a um passo das quartas de final.

Pepê foi decisivo em vitória do Grêmio com sua velocidade — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Pepê foi decisivo em vitória do Grêmio com sua velocidade — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Antes de decidir o jogo, o camisa 25 havia criado chance em passe de Diego Souza também em profundidade. Foi dele ainda o toque por cima do goleiro que Luiz Fernando não alcançou no início do jogo.

— Trabalhamos a bola para chegar no ataque, mas muitas vezes o adversário joga com linha alta e, jogando com linha alta, temos espaços para o contra-ataque. Por isso a bola longa muitas vezes é bem-vinda — comentou o técnico Renato Portaluppi.O importante é ter várias jogadas. Trabalhamos a bola, chegamos, finalizamos, temos a bola longa. Fizemos nas duas jogadas os dois gols— Renato Portaluppi

Os lances perigosos mostram um Grêmio que abraça e domina o adversário com toques curtos do trio Darlan, Matheus Henrique e Jean Pyerre. Mas deu estocadas certeiras na velocidade de Pepê.

Darlan, aliás, foi quem mais passes acertou, com 82. Jean teve 55, e Matheus, 49. Só o zagueiro David Braz se aproximou da média dos meio-campistas, com 52.

Cadenciar e acelerar

O Grêmio tem alternado momentos durante os 90 minutos com maestria. No primeiro tempo, teve mais dificuldades para atacar a partir da marcação do Guaraní. Então, tocou a bola mais longe da área adversária, se defendeu de pé em pé e evitou problemas.

No segundo, soube atacar os espaços deixados pela linha alta dos paraguaios. Antes mesmo de abrir o placar, Luiz Fernando perdera chance na cara do goleiro ao aparecer livre dentro da área. Foi a tônica para sair em vantagem do Defensores del Chaco.

O importante é ter várias jogadas, porque trabalhamos a bola, chegamos, finalizamos. Temos a bola longa para aproveitar a velocidade dos atacantes. Mais uma vez, fizemos nas duas jogadas os dois gols.— Renato Portaluppi

É bem verdade que Vanderlei evitou o gol do Guaraní em dois momentos. Primeiro, em cobrança de escanteio. A bola bateu em Victor Ferraz e sobrou para Baéz na pequena área. Mas o goleiro do Grêmio operou um milagre no desvio do rival. Logo na sequência, sai o gol de Jean Pyerre.

Vanderlei trabalharia também em um chute de Jorge Morel de fora da área. Os únicos dois lances de perigo dos donos da casa na partida. No geral, o Grêmio sofreu pouco.

Renato Portaluppi tem apontado os caminhos para o time — Foto: Staff Images/Conmebol

Renato Portaluppi tem apontado os caminhos para o time — Foto: Staff Images/Conmebol

Essa alternância dentro da partida vem de outros compromissos. No segundo jogo das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Cuiabá, Pepê correu boa parte do campo após lançamento de Mathus Henrique para dar assistência a Diego Souza no segundo gol.

As mudanças conduzidas pelo técnico Renato Portaluppi aliaram a essência do jogo de posse de bola com uma transição em velocidade com Pepê. Algo que existia nos grandes momentos dos times campeões de 2016 e 2017, com Pedro Rocha e Fernandinho.

O elenco gremista retorna para Porto Alegre e ganha folga nesta sexta-feira. O próximo compromisso é na segunda, às 18h, contra o Goiás, em jogo atrasado do Brasileirão, na Arena. Na quinta, também em Porto Alegre, ocorre o jogo da volta das oitavas. Mesmo se perder por um gol de diferença para o Guaraní, o Tricolor estará classificado.



Veja também