Em menos de um dia, o Grêmio avaliou o cenário do Rio Grande do Sul e construiu a alternativa de deixar sua casa para treinar na estrutura do Criciúma, em Santa Catarina. Apesar dos contatos feitos com as autoridades gaúchas, a diretoria não viu prosperar suas intenções de avanço para atividades com contato entre os jogadores.

A tendência é de que a delegação viaje na segunda-feira da semana que vem. Os custos de toda essa logística não são preocupação. A iniciativa, inclusive, pode ser estendida para quando o Brasileirão for retomado.

O acordo na Comissão Nacional de Clubes é que a competição pode ser disputada se 80% das sedes estiverem liberadas para jogos. Se Porto Alegre permanecer com restrições para o futebol, o Tricolor cogita ampliar a parceria com o Criciúma, além de estar aberto a atuar em outras cidades com colônias de gaúchos.

— Se Porto Alegre não estiver liberada, o Grêmio terá que arrumar algum lugar, depende de negociação. Mas é uma aproximação que pode trazer direcionamento — comentou o vice de futebol Paulo Luz ao GloboEsporte.com.

A diretoria entendeu que os valores a serem investidos na viagem não são proibitivos, embora ainda não haja uma estimativa. Vão comportar estadia, alimentação e transporte, já que há uma parceria com o Criciúma para ceder as instalações do CT Antenor Angeloni, com promessa de reciprocidade quando o Tigre precisar.

O presidente Romildo Bolzan Júnior considera ter segurança completa para a empreitada de sete a 10 dias de duração, pela previsão inicial. Os jogadores passarão por novos testes e viajarão provavelmente em dois ônibus. Já em solo catarinense, ficarão em quartos individuais.

Grêmio garante segurança nos protocolos sanitários do CT Luiz Carvalho — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio garante segurança nos protocolos sanitários do CT Luiz Carvalho — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

— Nós vamos manter os mesmo protocolos que nós temos aqui, seja no CT que vamos treinar, seja no hotel. Possivelmente quartos separados, cada um com sua privacidade. Basicamente, vai passar por um protocolo que deverá ser concluído na sexta, possivelmente com profissionais precursores que vão examinar o hotel e aí nós já vamos preparar essa segurança — comentou Bolzan em entrevista à RBS TV.

A facilidade logística também é um ponto positivo, pois são cerca de três horas de deslocamento de Porto Alegre até a cidade no sul de Santa Catarina, sem a necessidade de passar por aeroportos.

A tendência é que o técnico Renato Gaúcho enfim deixe o Rio de Janeiro, retorne a Porto Alegre e faça o deslocamento com o restante do grupo. Outra possibilidade seria voar a Florianópolis e ir de carro a Criciúma.

Grupo do Grêmio segue sem contato físico no CT Luiz Carvalho — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Grupo do Grêmio segue sem contato físico no CT Luiz Carvalho — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

“Não teremos contato com ninguém, nosso deslocamento será pontual. Desce aqui, chega lá, faz prevenção sanitária e vamos lá. Entendemos que estamos completamente seguros” (Romildo Bolzan Júnior)

O Grêmio passou a tratar da mudança de sede a partir da declaração do governador Eduardo Leite de que o futebol “não é prioridade” diante do combate ao coronavírus no Rio Grande do Sul. Logo depois, os integrantes do Conselho de Administração decidiram pela saída do Estado para realizar treinos coletivos.

A prefeitura de Criciúma liberou atividades com contato físico em manifestação no último dia 19. Na capital Florianópolis, por exemplo, ainda não há essa possibilidade.



Veja também