Dirigente do Grêmio sobre reforços: “existe pressa, mas não urgência”

Tricolor só conseguiu confirmar três nomes até agora

17 de janeiro de 2017 - Às 12:06
Foto: Lucas Uebel / Grêmio

A frase do vice de futebol do Grêmio, Odorico Roman, de que “existe pressa, mas não urgência”, indica que o clube está agilizando a contratação de reforços, mas sem estipular um prazo imediato para isso. A prioridade continua sendo a vinda de dois atacantes. Além deles, o Tricolor pretende trazer um zagueiro e um lateral esquerdo.

Os nomes para o ataque são desconhecidos do torcedor, mas segundo a direção, foram aprovados pelo Centro Digital de Dados (CDD) e consequentemente pela comissão técnica. “Não existe jogador que o Odorico ou o Renato escolheu, é um processo coletivo”, diz o vice de futebol. “Cada jogador, para entrar nessa lista que temos interesse, precisa ser aprovado pelo CDD”.

O dirigente referia-se ao colombiano Àngelo Rodríguez, de 27 anos, do Deportes Tolima, e que marcou 37 gols na carreira. “Ele fez 16 gols no ano passado por um clube de menor expressão na Colômbia”, elogia Odorico. A pedida do Tolima estaria girando em torno de 1,2 milhões de dólares. A comissão pretendida pelo empresário do atleta é que seria o empecilho nesse momento, já que o Tolima não tem condições de competir com o Grêmio nas questões salariais.

O peruano Beto da Silva, do PSV Eindhoven, da Holanda, também está negociando. O Grêmio mantém em sigilo, mas já teria escolhido o nome para a lateral esquerda. O chileno Mena foi oferecido, mas fica como um plano B. “Eu quero lembrar que o Grêmio foi campeão da Copa do Brasil jogando em alto nível e enfrentando grandes adversários. Então, não estamos remontando o time, e sim buscando reforços para compor o grupo”, encerrou Odorico Roman.



Veja também