Diretor Jurídico do Grêmio sobre efeito suspensivo de William: “vergonhosa e lamentável”

Lateral do Internacional conseguiu efeito suspensivo da punição de seis jogos e pode atuar contra o São José

16 de abril de 2016 - Às 08:01
Foto: Lucas Uebel/Grêmio
Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O lateral William, do Internacional conseguiu efeito suspensivo da punição de seis jogos pela entrada dura no Gre-Nal 409 que fraturou a mandíbula de Miller Bolaños e desta forma, está apto para enfrentar o São José nas semifinais do Gauchão.

O diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, comentou sobre a decisão do efeito suspensivo:

“A decisão foi desastrosa porque é um salvo conduto para a violência. No caso do William, em que ele não quis ocasionar uma quebra na mandíbula do Bolaños, mas produziu uma cotovelada intencional”, disse.

“Na medida em que o Tribunal libera isso, eu vou sugerir ao presidente do Grêmio que se retire da assistência desse processo e que resguarde os jogadores para a Libertadores ou jogue com alguma proteção especial na cabeça. O Tricolor quer ganhar o Campeonato Gaúcho, mas quer que seus jogadores estejam bem para a Libertadores”, completou Hein.

O diretor jurídico do Grêmio acredita que não vai ter justiça no caso. “Se o tribunal não pune, depois de um julgamento de três horas, é porque está se escrevendo mais uma página vergonhosa e lamentável da história do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Eu aconselharia o Grêmio a se retirar. Mas se o presidente Romildo determinar eu vou recorrer”, declarou.



Veja também