Direção do Grêmio promete agir após arbitragem desastrosa: “É inaceitável”

Vice de futebol Alberto Guerra reclamou da arbitragem em três lances que prejudicaram o Grêmio na partida

11 de junho de 2016 - Às 21:20
Foto: Nelson Perez
Foto: Nelson Perez

O vice-presidente de futebol do Tricolor, Alberto Guerra, comentou e seguiu a mesma linha de reclamação dos jogadores referente a arbitragem diante do Fluminense, em que o Tricolor foi prejudicado. A reclamação é tripla: a expulsão de Ramiro, a não-marcação de um pênalti no primeiro tempo e a não-marcação de um toque de mão no gol de Marcos Júnior.

– A gente investir tanto em um time para ser assaltado… Este vai ser conhecido como o “jogo da mão”: meteram a mão no Grêmio, não deram um pênalti de mão e o gol deles teve toque de mão. É inaceitável. Não sei o que vamos fazer, mas alguma coisa será feita – disse o dirigente.

Sobre a expulsão de Ramiro, Guerra foi perguntado se sabia o que o jogador havia dito:

– O que o Ramiro disse, todos os outros 21 jogadores em campo disseram. Isso aqui não é balé, não é vôlei. E não foi direcionado ao árbitro, ele reclamou da marcação da falta.

O dirigente também comentou a indignação dos jogadores:

– Não tem como não se indignar com o que aconteceu aqui. É natural. Mas não é positivo e nem negativo. Eu não gostaria que o juiz desse chances para que isso acontecesse – completou Guerra.



Veja também