Foto: Eduardo Moura/ge

A artilharia do ano ainda está nas mãos de Diego Souza. Mas o centroavante gremista também convive com o seu maior jejum sem gols na temporada. Ainda assim, afinou a parceria com Pepê, seu principal “concorrente” no posto de goleador, com duas assistências.

Diego Souza tem 11 gols na temporada e havia ficado no máximo três partidas sem balançar as redes. O último gol foi contra o Fortaleza, dia 13 de setembro. Agora, são seis jogos e 521 minutos disputados sem balançar as redes.

Mas é verdade, também, que Diego Souza não deixou de participar dos gols. Deu assistência para Pepê em dois jogos.

No primeiro, ganhou duelo aéreo e deu uma “casquinha” para ajeitar a bola ao atacante na vitória sobre a Universidad Católica, pela Libertadores, na Arena. Depois, como pivô clássico pelo meio, ao tabelar com o companheiro no Gre-Nal pelo Brasileirão.

— É sempre bom jogar do lado de grandes jogadores como o Diego Souza. É artilheiro, mas dá muitas assistências, é inteligente. Gosto muito. Creio que vai sair uma tabelinha e ele vai poder voltar a marcar — destacou Luiz Fernando, seu companheiro também no Botafogo antes de ambos chegarem ao Grêmio.

Pepê chegou a oito gols e se aproxima de Diego na artilharia gremista. No atual momento do jovem, o centroavante se tornou o grande coadjuvante do ataque, apesar dos números, e afina a parceria com os passes nas últmas partidas.

São quatro assistências no total da temporada. Diego já serviu também Maicon e Alisson. No fundamento, está a um passe de igualar Everton Cebolinha, hoje jogador do Benfica. O líder é Alisson, com seis assistências na temporada.

O Grêmio faz o último treino antes de pegar o Santos na manhã deste sábado, no CT Luiz Carvalho. Depois, viaja para o duelo de domingo, às 16h, na Vila Belmiro. O Tricolor é o 11º colocado no Brasileirão, com 17 pontos.



Veja também