De contrato renovado, Diego Souza foi o primeiro remanescente do rebaixamento do Grêmio a falar com imprensa em entrevista coletiva nesta segunda-feira. O atacante, claro, falou sobre os problemas na temporada anterior e projetou o ano de 2022, além de explicar como foi o acerto para sua permanência e responder a questionamentos sobre sua forma física no ano passado.

Após o último jogo da temporada, o Grêmio chegou a divulgar uma nota informando que não renovaria com Diego Souza, Rafinha e Bruno Cortez. Mas o clube voltou atrás em sua decisão e no último dia do ano anunciou a renovação de contrato com o centroavante de 36 anos. Diego Souza admitiu conversas com o Sport nesse período de indefinição, mas disse que sua prioridade sempre foi seguir na Arena. E que descartou qualquer plano de aposentadoria por tudo o que ocorreu no ano passado.

– Assim que acabou a temporada, da maneira que acabou a temporada, seria muito difícil entrar na minha cabeça eu me aposentar com um ano difícil que foi. Logo no início o Grêmio não contava (comigo), não tinha o contato. Com o Sport, além de ter um carinho, além de ser um torcedor do clube, tenho contato muito direto com o presidente, com o diretor Augusto Carreras. A gente conversou muito e eles sabiam da minha prioridade, que era permanecer no Grêmio. A gente começou a conversar, mas não chegamos a acertar valores e outras coisas desse tipo. Quando o Grêmio entrou em contato, a vontade de permanecer seguiu e eu consegui resolver isso bem rapidamente – explicou.

Diego Souza, centroavante do Grêmio — Foto: Grêmio FBPA/Divulgação

Diego Souza, centroavante do Grêmio — Foto: Grêmio FBPA/Divulgação

Questionado sobre os problemas que determinaram a queda do time para a Série B, Diego Souza disse que todos tiveram sua parcela de culpa. O centroavante admitiu que o time teve muitos problemas internamente, mas sem especificar quais. E projetou um ano “diferente”, com o principal objetivo bem definido, que é recolocar o Grêmio na Série A.

– Foi um ano muito difícil, tivemos alguns tipos de problemas dentro da temporada. A nossa equipe não encaixou. A maior parte do campeonato a gente não conseguiu jogar o futebol que a gente apresentou no final. Jogamos o campeonato subindo ladeira. Tivemos alguns problemas, desde o início, não é normal uma equipe como o Grêmio, com jogadores de tanta qualidade, desde o início do campeonato permanecer na zona de rebaixamento. Isso foi bem difícil. O que a gente pode dizer que é esse ano tem que ser diferente. A gente tem três competições, e a gente vai fazer de tudo para buscar esses títulos e fazer com que o Grêmio volte o mais rapidamente possível para a Série A, que é o maior objetivo na temporada.

Além de Diego Souza, o Grêmio manteve outros 22 jogadores que participaram da campanha do rebaixamento para a nova temporada. A comissão técnica encabeçada pelo técnico Vagner Mancini também segue, assim como o diretor de futebol Dênis Abrahão. Questionado sobre a diferença do Grêmio para outras equipes grandes que promoveram uma reformulação geral após o rebaixamento, o centroavante defendeu o grupo de trabalho e disse que todos terão oportunidade de dar a volta por cima.

– Não é porque caiu que necessariamente tenha que fazer uma limpa geral. Os profissionais são capacitados para saber fazer suas escolhas. Quem ficou aqui com certeza é um escolhido, tem admiração, é um cara que trabalha diariamente. Ninguém ia comprar esse barulho se fosse diferente disso. Todos nós que permanecemos é porque temos muito a oferecer sim. Todos com muita gana, muita vontade de jogar muito esse ano para que a gente possa ter essa oportunidade. Já que a gente participou de um momento ruim, a gente conseguir dar essa volta por cima para que o torcedor possa ficar mais feliz – completou.



Veja também