Foto: Eduardo Deconto

Depois de vencer o Atlético-PR fora de casa por 2 a 0, no domingo, e assumir a liderança do Brasileirão, o técnico Renato não quis elogiar um setor específico do time do Grêmio. Naquele dia, disse que daria “os parabéns” para zaga, meio e ataque, pois a coletividade havia se destacado. A defesa, porém, merece parabéns especial do comandante: após duas rodadas, é a única que ainda não foi vazada no campeonato e está a meio caminho de repetir a marca da boa largada no ano passado, quando o time ficou quatro rodadas sem sofrer gol.

Na estreia no campeonato, o Grêmio bateu o Botafogo por 2 a 0, na Arena. Repetiu o placar no último domingo, em Curitiba, e assumiu a liderança do campeonato, ao lado do Fluminense, que tem saldo menor. Não sofreu gols mesmo com os desfalques dos laterais Edílson e Marcelo Oliveira, considerados titulares, além de Marcelo Grohe, expulso perto do fim do jogo.

– O Grêmio tem, segundo algumas pessoas, a melhor defesa do Brasil. É o que dizem. Temos um sistema sólido. Mas não é só os zagueiros. Cortez entrou no lugar do Marcelo Oliveira e deu conta. Temos um grupo consistente – elogiou o vice de futebol Odorico Roman.

A arrancada lembra o bom início do ano passado, quando o Grêmio só foi sofrer o primeiro gol na quinta rodada. Ou melhor, os primeiros quatro, na derrota por 4 a 3 para o Palmeiras, que viria a ser o campeão, em São Paulo. Antes disso, o Tricolor havia acumulado um empate contra o Corinthians (0 a 0) na estreia e três vitórias seguidas sobre Flamengo (1 a 0), Atlético-MG (3 a 0) e Coritiba (2 a 0).

Se é verdade que em um time bem armado defensivamente a responsabilidade pela marcação começa com os atacantes, também é fato que um dos pilares do Grêmio é a dupla de zaga. Desde que começaram a jogar juntos, ainda no ano passado, Pedro Geromel e Walter Kannemann mostraram afinidade e deram solidez à equipe, facilitando as coisas do meio para a frente. O entrosamento entre os dois é tanto que o brasileiro não poupa elogios ao argentino.

– Fenomenal! Uma raça e vontade invejáveis. Não tem bola perdida. É um jogador de muita qualidade que ajudou muito a gente e demonstrou seu futebol. Sempre tivemos afinidade, e eu já tive bons companheiros – disse Geromel.

Em 26 jogos na temporada, o Grêmio sofreu 21 gols, o que dá uma média de 0,81 por jogo. Porém, nas últimas três partidas , desde que declarou o início de um novo momento após a eliminação nas semifinais do Gauchão e a derrota para o Iquique, pela Libertadores, o Grêmio enfrentou três times tradicionais do cenário nacional. E levou apenas um gol. A única vez que a defesa vazou nesse período foi diante do Fluminense, em casa, na vitória por 3 a 1 pelo jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil.

– Desde que soframos menos do que fizermos, está bom. Vamos continuar trabalhando e corrigir o que tiver que corrigir – afirmou Kannemann.

Se não levar gol nos próximos dois jogos, Grêmio pode repetir marca de 2016 (Foto: Infografia)

Se não levar gol nos próximos dois jogos, Grêmio pode repetir marca de 2016 (Foto: Infografia)

Ao longo do ano, só quatro times conseguiram fazer dois gols no Grêmio. O primeiro foi o Caxias, que venceu por 2 a 1 no Centenário, pelo Gauchão, no segundo jogo da temporada. O segundo, o Flamengo (2 a 0 pela Primeira Liga), quando Renato usou reservas. Depois, houve o 2 a 2 no Gre-Nal e, por fim, o os dois encontros com o Deportes Iquique: vitória na Arena por 3 a 2, sem Geromel, lesionado, e derrota no Chile por 2 a 1.

O próximo teste da defesa gremista será às 21h45min desta quinta-feira, na Arena, contra o Zamora, lanterna do Grupo 8 da Libertadores. Depois, o time vai ao Recife encarar o Sport, domingo, às 19h, pela terceira rodada do Brasileirão, de olho na marca de 2016.



Veja também