Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Miguel Borja está de saída do Grêmio e já negocia com o Junior Barranquilla, da Colômbia. Na última segunda-feira, o centroavante concedeu entrevista para a imprensa local na cidade de Barranquilla e classificou o seu ano de 2021 como “muito positivo”.

Borja esteve no Estádio Romelio Martínez para um jogo festivo de final de ano intitulado “Costeños vs. Cachacos”. No local, ele falou com diversos veículos da Colômbia, admitiu negócio com o Junior e opinou sobre sua temporada, na qual participou do rebaixamento do Grêmio à Série B.

Foi um ano muito positivo para mim. Voltei para a Seleção, joguei a Eliminatória, a Copa América, estive novamente no Brasil com o Grêmio, que apesar de não se salvar da categoria (Série A), aprendeu e cresceu muito. Dou graças a Deus por esse 2021 tão maravilhoso”— Miguel Borja, em entrevista na Colômbia

O centroavante ainda confirmou que tem conversas em andamento com o Junior Barranquilla. Ele defendeu o clube até junho deste ano emprestado pelo Palmeiras, antes de voltar a São Paulo e ser repassado ao Grêmio.

– Vamos ver o que acontece. Se está fazendo um esforço de ambas partes e esperamos que se chegue a um acordo. Repito, o desejo sempre há – disse o jogador.

ge apurou que Borja tem sinalizações de ofertas de clubes colombianos. Porém, como está emprestado pelo Palmeiras ao Grêmio, um novo empréstimo estaria fora de cogitação. O Verdão só aceitaria uma venda, um modelo de negócio que cria empecilhos para as equipes da Colômbia.

Borja tem contrato com o Grêmio até o fim de 2022, com opção de compra fixada em US$ 2,5 milhões (R$ 14,2 milhões na cotação atual), que não deve ser exercida pelo Tricolor. A intenção da direção é diminuir a folha para cerca de R$ 8 milhões por conta do rebaixamento.

Até o final da janela de transferências, se o Palmeiras receber uma proposta de 7 milhões de euros (R$ 45 milhões), Borja deixaria o Grêmio automaticamente. Mas seja qual for o seu destino em 2022, o atacante mira a Copa do Mundo do Catar.

– Quero seguir em bom nível para seguir estando na seleção (colombiana), porque esse ano vem o Mundial e estou seguro que a Colômbia estará. Por isso devo chegar a um time onde se pode jogar e onde possa ser protagonista para fazer coisas especiais – comentou o atacante.

Borja fez 20 jogos pelo Grêmio, marcou cinco gols e deu três assistências. Acabou o Brasileirão como reserva de Diego Souza e participou do rebaixamento – chegou a perder um pênalti no último jogo contra o Atlético-MG, uma vitória por 4 a 3 na Arena.



Veja também