Com a mesma facilidade para apoiar o ataque e auxiliar a marcação, o meio-campista Robinho realizou um desejo antigo do presidente Romildo Bolzan Júnior e se apresenta como novo reforço do Grêmio nos próximos dias. Uma opção de polivalência para o técnico Renato Gaúcho diante da maratona de jogos neste segundo semestre.

O jogador de 32 anos se encaixa em pelo menos três funções do meio-campo na estratégia tricolor atual. Pode atuar como segundo volante, aberto pelos lados na trinca de meias e também de “camisa 10”.

“Na chegada, vou trocar ideias com ele (Robinho). Eu imagino já, mas em qualquer posição que colocarmos, ele vai nos ajudar” (Renato Gaúcho)

– Já observei o Robinho e o conheço muito bem. Joga em várias posições. Lógico que vou conversar e ver onde se sente melhor. Mas, com um jogador versátil, você pode mudá-lo de posição sem mudar peça – destaca o treinador.

Robinho tem a compreensão de jogo como trunfo para brilhar no Grêmio — Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Robinho tem a compreensão de jogo como trunfo para brilhar no Grêmio — Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Caso precise de Robinho mais recuado, até pelo cuidado com a condição física de Maicon, o Grêmio não perde tanto em visão de jogo e ainda ganha na intensidade empregada.

Mais adiantado, Robinho disputará vaga prioritariamente com Alisson, pela direita – apesar de também desempenhar na função de Pepê, na ponta esquerda. Foi assim que conquistou o bicampeonato da Copa do Brasil pelo Cruzeiro, em 2017 e 2018.

– No Cruzeiro, Robinho exerceu praticamente todas as funções no meio, mas se destacou jogando pela direita, ajudando na marcação e chegando ao ataque. Foi assim que teve a maior (e melhor) sequência em quatro anos no clube, nas mãos de Mano Menezes, em 2018 – diz Guilherme Macedo, repórter que cobre o Cruzeiro pelo ge.

A qualidade no passe e na finalização ainda dão chance de brigar na faixa de campo onde atuam o titular Jean Pyerre e Thiago Neves, seu companheiro no Cruzeiro. Foi como armador que se destacou no Palmeiras que levantou a Copa do Brasil em 2015.

– Com boa qualidade de passe e finalização, teve destaque nas assistências. Foram 13 passes para gol em 2015. Foi dele o passe para Dudu no primeiro gol da decisão contra o Santos e também a cobrança de falta na jogada do segundo gol alviverde naquela vitória por 2 a 1 – recorda Felipe Zito, setorista do Palmeiras no ge.

Os tricolores torcem para que o jogador recupere o futebol de antes da cirurgia no joelho esquerdo, no fim de 2019. Nesta temporada, tem somente 45 minutos jogados. Ele entrou no intervalo da derrota do Cruzeiro para o CRB por 2 a 0, pela Copa do Brasil, no dia 11 de março.

O contrato de Robinho vigora até o final da temporada, já em fevereiro de 2021. Com Libertadores, Brasileirão e Copa do Brasil pela frente, o polivalente meio-campista terá todas as chances para provar que pode prorrogar o contrato por mais tempo.



Veja também