As últimas horas do Grêmio tiveram todos os elementos de uma crise no futebol brasileiro. Protesto e torcedores dentro do centro de treinamentos, reuniões entre os dirigentes, diagnóstico de clima pesado e de iminente mudança após o duelo com o Atlético-GO, na Arena, no domingo.

A quinta-feira terminou como começou: com reuniões da alta cúpula gremista. No fim da tarde, o Conselho de Administração se reuniu na Arena e votou a decisão tomada na madrugada anterior ainda no Alfredo Jaconi. Por maioria, se reforçou a permanência de Tiago Nunes pelo menos até domingo.

— É um momento de turbulência, de insatisfação de todos, comissão, atletas, diretoria. A torcida está assustada, com razão. Para nós, é isso — resumiu o presidente Romildo Bolzan Júnior após a derrota para o Juventude.

Na madrugada, no espaço reservado aos gremistas no estádio e depois no vestiário em Caxias do Sul, o presidente Romildo Bolzan, o vice de futebol Marcos Herrmann e o CEO Carlos Amodeo haviam encaminhado essa decisão, após uma série de telefonemas. Também ouviram o lado de Tiago Nunes e resolveram conceder-lhe mais uma chance.

Tiago Nunes em conversa com o grupo do Grêmio em sua apresentação — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Tiago Nunes em conversa com o grupo do Grêmio em sua apresentação — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Até porque o temperamento de Romildo é justamente de evitar muitas trocas. Sempre houve receio que, após a saída de Renato, as mudanças se sucedessem, como é comum no futebol brasileiro. E na avaliação da diretoria há qualidade no trabalho diário da comissão técnica.

— O trabalho é bom e o desempenho não tem sido bom. Temos que achar as causas, alguns diagnósticos já temos. A solução vamos ter que dar. Mas é uma situação que fica conosco — disse Bolzan.

Protesto da torcida

Já ao fim da tarde de quinta, a nova votação sobre o futuro de Tiago Nunes não foi unânime, o que deixa clara a pressão por troca imediata, antes mesmo do resultado de domingo, contra o Atlético-GO. Tanto interna quanto externa. No CT Luiz Carvalho, um grupo grande de torcedores se reuniu para protestar.

Três destes torcedores tiveram a entrada liberada ao local. Conforme apurou o ge, foram recebidos por Herrmann e Tiago Nunes. O dirigente gremista, porém, nega o encontro. Nenhum jogador conversou com os gremistas dentro da estrutura do clube — há vídeos de manifestantes em volta do carro do lateral-direito Leonardo Gomes, lesionado desde 2019.

A conversa foi no sentido de ter uma trégua até domingo. Um outro peso colocado para este jogo com o Dragão. Porque a promessa da torcida é repetir os protestos se o Tricolor chegar a sete partidas sem vencer.

— Entendo o torcedor quando pede a saída quando os resultados não vêm. Faz parte do futebol, da nossa rotina, temos que entender. Não tenho nada a declarar, só respeitar. Meu papel é trabalhar e melhorar a equipe para vencer no domingo — minimizou o técnico Tiago Nunes depois da derrota para o Juventude.

Torcedores do Grêmio protestaram em frente ao CT Luiz Carvalho na tarde de quinta — Foto: Emerson Garcia/RBS TV

Torcedores do Grêmio protestaram em frente ao CT Luiz Carvalho na tarde de quinta — Foto: Emerson Garcia/RBS TV

Reunião com capitão e clima pesado

Nos corredores do CT, o clima ruim é nítido e quase palpável, claro. O zagueiro Pedro Geromel, capitão da equipe, se reuniu com o treinador para tratar do momento ruim. O presidente Romildo Bolzan também passou rapidamente pelo local para conversar com os principais nomes do elenco.

Ao mesmo tempo, pessoas que transitam no vestiário citam que o estilo de liderança e comando teve uma mudança profunda a partir da saída de Renato. Todo o departamento foi impactado por isso.

No entendimento de algumas pessoas ouvidas pelo ge, isso tem afetado a maneira de o time reagir em campo, especialmente neste momento complicado.

O ge também ouviu que pessoas de dentro do clube têm dificuldade de entender as razões para o trabalho não engrenar dentro de campo, já que o elenco tem qualidade reconhecida, ao menos na teoria.

Na prática, no entanto, o time tem a chance de mostrar no domingo uma nova atitude. Caso contrário, o técnico Tiago Nunes deve ser sacado do cargo para um novo nome buscar a reação no Brasileirão. São até agora dois pontos conquistados em 18 disputados.



Veja também