Apesar de já ter reestreado com a camisa do Grêmio, Lucas Leiva viverá um sentimento diferente no confronto desta sexta-feira contra o Guarani, no Brinco de Ouro. Com a suspensão de Bitello, o volante se prepara para ser titular pela primeira vez desde que retornou ao clube. A última vez que isso aconteceu foi há 15 anos, em uma final da Libertadores.

Dia 20 de junho de 2007. Este foi a última vez que Leiva foi titular em uma partida do Tricolor. É bem verdade que as lembranças não são boas deste jogo. O time, na época comandado por Mano Menezes, perdeu por 2 a 0 para o Boca Juniors no duelo de volta da final da Libertadores, em pleno Olímpico, e adiou o sonho do tri, que viria 10 anos depois.

Na época com 20 anos, Lucas atuou os 90 minutos naquela partida. Nas costas, estampava o número 8 e fazia seu último jogo antes de viajar rumo à Inglaterra para trocar o azul pelo vermelho, do Liverpool.

Lucas Leiva na chegada do Grêmio a Campinas — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Lucas Leiva na chegada do Grêmio a Campinas — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Após dez anos na Inglaterra e cinco na Itália, defendendo a Lazio, o volante retornou a Porto Alegre com o objetivo de levar o clube que o revelou para o futebol de volta à Série A. Desta vez, recebeu a camisa 15, mesma que usou na Batalha dos Aflitos, em 2005, seu primeiro ano como profissional.

Na vitória por 2 a 1 diante da Ponte Preta, pela 20ª rodada da Série B, Lucas Leiva entrou aos 14 minutos do segundo tempo e foi ovacionado pelos mais de 43 mil torcedores presentes na Arena. Foi a primeira vez que pisou no gramado da Arena por uma partida oficial desde a sua contratação.

Além de Leiva, outro reforço que fará seu primeiro jogo entre os titulares é o atacante Guilherme, que também foi repatriado pelo clube nesta janela de transferências. O jogador entrará no lado esquerdo do ataque, na vaga de Ferreira, que sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda.

O camisa 11 veio junto com o pacote de reforços do Grêmio para o segundo turno da Série B. Os três que voltaram ao clube chegaram à capital gaúcha com status de atletas mais rodados e experientes. Para Guilherme, a bagagem que Lucas traz com 15 anos no Velho Continente é fundamental para o clube.

– É um cara da seleção brasileira, que ficou 10 anos no Liverpool e ele jogou os 10 anos. Depois cinco anos de Lazio. Então é uma baita de uma experiência. Ele tem agregado muito e não só como jogador, mas como pessoa, é muito profissional, chega cedo no clube, é um dos últimos a ir embora. Tem agregado muito não só para os mais velhos, mas para os mais novos – relata Guilherme.

Lucas Leiva em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Lucas Leiva em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Na semana passada, contra a Chapecoense, o camisa 15 foi surpreendido com a expulsão de Bitello ainda na primeira etapa e foi acionado pelo treinador para entrar na partida com 32 minutos de jogo. Com dez em campo, fez dupla com Villasanti, e o Grêmio conseguiu arrancar um empate sem gols da Arena Condá.

Nesta sexta-feira, a parceria será reeditada, já que Bitello não poderá jogar. No entanto, é possível que o volante não tenha condições de suportar os 90 minutos da partida. Thaciano fica à disposição de Roger pela primeira vez após completar o esquema vacinal para Covid-19, mas deve iniciar no banco.

O Grêmio visita o Guarani nesta sexta-feira, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. A bola rola a partir das 21h30, pela 22ª rodada da Série B. O Tricolor é quarto colocado e busca a vitória para subir de posição na tabela e diminuir a diferença para o líder, Cruzeiro.



Veja também