Declarado curado pela Secretaria Estadual da Saúde da covid-19 desde segunda-feira (30), o presidente Romildo Bolzan concedeu entrevista ao programa Show dos Esportes, da Rádio Gaúcha, na noite desta terça-feira (31), para falar sobre os momentos em que conviveu com o novo coronavírus em seu isolamento social.

Na conversa, o mandatário do Grêmio tranquilizou a torcida e revelou ter sentido apenas dois sintomas típicos da doença.

— Eu estava assintomático. Não tive absolutamente nenhum sintoma. Os únicos sintomas que senti, já ao final dos 14 dias, foi que fiquei sem olfato e paladar. Essas duas foram as únicas consequências da doença que apareceram. Não tive febre, nem dor no corpo. Nada — afirmou o presidente gremista.

Romildo falou sobre o compromisso que um portador do vírus carrega. O mandatário tricolor declarou que seus momentos de reclusão foram também de responsabilidade social.

— A partir da relação que se teve com o Inter e do diagnóstico do presidente do Inter, procuramos fazer o exame. Tivemos o diagnóstico e cumprimos os protocolos. Mas o mais importante é que ninguém do meu convívio teve nenhuma consequência, nenhum sintoma. Fico muito contente porque isso acabou e não teve nenhum reflexo — ressaltou.

No entanto, apesar da certeza de curado, Romildo garantiu que seguirá até o final de semana em isolamento.

— Mantenho até o final de semana o resguardo social, vou manter isso em respeito à todos e aos que tenho convívio socialmente — finalizou.

Oficialmente, quatro dirigentes tricolores contraíram o coronavírus. Além de Romildo, Cláudio Oderich e Eduardo Fernandes também testaram positivo. Ambos estão bem. O único que inspira maiores cuidados é Marco Bobsin, outro vice-presidente do conselho de administração do Grêmio.



Veja também