Críticas ao gramado da Arena na Copa América geram desconforto e preocupação ao Grêmio

Nomes como Messi, Suárez e Tite, entre outros, relataram problemas no campo de jogo do estádio tricolor; COL diz que já tomou providências

29 de junho de 2019 - Às 10:36
Diego Vara/Reuters

Com a Arena entre as sedes da Copa América, o Grêmio planejava impulsionar a marca diante da exposição do clube por todo o continente e até fora dele. O time que revelou Ronaldinho Gaúcho ao mundo estamparia manchetes em função das transmissões e matérias em seu estádio.

Porém, o estado do gramado e as constantes críticas, que vieram de nomes como Luís Suárez, Lionel Messi e Tite, arranharam a imagem e causaram incômodo dentro do clube. O Comitê Organizador Local (COL) afirma que trabalha “de maneira ininterrupta” para resolver a questão e também lembra a diferença do clima neste início de inverno (veja a nota completa no fim do texto).

Na última quinta-feira, a Arena recebeu a seleção brasileira no quarto dos cinco jogos que sediará durante a Copa América. O verde da grama tinha diversos tons e a irregularidade era nítida. As leivas saltavam a todo instante. Após a classificação à semifinal sobre o Paraguai, o treinador brasileiro vociferou contra o campo.

“É absurdo. Em alto nível, ter um campo com tamanha dificuldade para tocar (a bola). Ela entra no pivô, o cara tem que dar três toques para tocar” (Tite)
Falhas no gramado da Arena nítidas perto da área técnica — Foto: Sebastião Moreira/EFE

Falhas no gramado da Arena nítidas perto da área técnica — Foto: Sebastião Moreira/EFE

Antes do duelo, Tite já tinha demonstrado preocupação com o gramado. Visitou o estádio em duas oportunidades. Em ambas, saiu incomodado com o que presenciou. Tinha a esperança que os efeitos fossem minimizados, sem interferir tanto ao longo dos 90 minutos. Algo que não se concretizou.

Reclamações superam “invasões”

As reclamações durante a Copa América ecoaram com o já recorrente desgaste dos tricolores com a gestora da Arena. Renato Gaúcho virou o porta-voz dos problemas verificados na grama.

Mas o clube estava orgulhoso por sediar uma competição internacional. Ainda mais com a vitrine de jogadores do quilate de Messi, Suárez, Cavani, Philippe Coutinho e mais. O marketing trabalhava para rentabilizar todo este contexto.

Lionel Messi criticou condição do gramado contra o Catar — Foto: Pedro Vilela / Getty Images

Lionel Messi criticou condição do gramado contra o Catar — Foto: Pedro Vilela / Getty Images

A relação com o Uruguai, principalmente, diante da proximidade criada junto ao atacante Cavani, surgiu como uma destas ações. Além disso, as “invasões” dos charruas e argentinos a Porto Alegre levaram cerca de 40 mil pessoas à Arena em cada jogo. Só que o gramado irregular e as cobranças ganharam mais atenção que os pontos positivos.

Antes de Tite, Messi já tinha avaliado que o piso não condizia com a magnitude do evento. Durante a vitória da Argentina por 2 a 0 sobre o Catar, o astro do Barcelona perdeu um gol daqueles que não está acostumado

– (A bola) quica muito no campo. Todos campos em que jogamos estavam muito ruins. É difícil – reclamou Messi.

Os gremistas não deixam por menos. Renato aumentou o coro de críticas e até ironizou. O zagueiro Kannemann foi mais contido, mas concordou com o chefe.

– Não vamos mentir. Estão certos. Não é para criticar, é para melhorar. Não estava 100%. Tem que fazer algo para melhorar e que no (Campeonato) Brasileiro seja melhor ainda – afirmou.

COL garante manutenção “ininterrupta”

Em meio à celeuma, uma pergunta impera. Quem é o responsável pelo gramado? A gestora do estádio, por sua vez, disse antes da partida do Brasil que a culpa era do clima e da assiduidade do uso.

Agora, adotou a postura de não se manifestar mais durante a Copa América. Já o Comitê Organizador Local (COL) afirma em nota que acondição climática é um fator prejudicial à grama, mas que também “providenciou as correções de danos”.

Gramado da Arena do Grêmio é tratado com luz artificial — Foto: Eduardo Deconto

Gramado da Arena do Grêmio é tratado com luz artificial — Foto: Eduardo Deconto

No epicentro da polêmica, a Arena receberá uma das semifinais da competiçãoO Chile enfrentará o ganhador de Uruguai e Peru, que jogam neste sábado. A partida que definirá um dos finalistas do torneio está marcada para as 21h30 da próxima quarta-feira.

Em seguida, o Grêmio retoma o calendário pesado do segundo semestre. Terá compromissos pelo Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil. O primeiro duelo será diante do Bahia, pelas quartas de final do mata-mata nacional. Os tricolores gaúcho e baiano pisam o gramado da Arena no dia 10 de julho, em boas ou más condições.

O que diz o COL

A respeito da Arena do Grêmio, logo após o jogo entre Brasil e Paraguai, o Comitê Organizador da Copa América providenciou as correções de danos ao gramado, procedimento usual após cada partida. O uso de luz artificial, que começou no início do outono, está mantido de maneira ininterrupta. Outra medida tomada foi novo plantio de semente Ryegrass (grama de inverno). Além dos cuidados, o gramado terá cinco dias de descanso até a partida entre Uruguai e Peru, dia 29.

Vale ressaltar que Porto Alegre enfrentou o maio mais chuvoso nos últimos 35 anos, mês também mais quente na cidade desde 2012. Ou seja, Porto Alegre teve uma condição climática oposta neste período, com temperaturas mais elevadas, retardando o desenvolvimento da grama de inverno e a sua recuperação após as atividades.

O Comitê Organizador Local segue trabalhando para receber os atletas e a torcida nos estádios nessa reta final do torneio.

 


Veja também