Jefferson Botega / Agencia RBS

Destaque do Grêmio na temporada 2020, Orejuela reveza a titularidade na lateral direita com Victor Ferraz. Após o início da trajetória na Arena com poucas utilizações, o colombiano ganhou espaço e está bem cotado entre torcedores e dirigentes. As atuações do jogador já despertam o interesse de outros clubes brasileiros e, por isso, o Grêmio trata de fazer contatos para garantir a permanência do estrangeiro.

— Ele vem fazendo uma grande temporada. Podemos exercer a compra dos direitos econômicos dele. Vamos conversar com o Cruzeiro para ver como podemos avançar nessa situação — revelou o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, em entrevista coletiva na última terça-feira (13).

Um fator apontado como um facilitador na negociação é a crise financeira do Cruzeiro, detentor dos direitos federativos e de metade dos direitos econômicos do atleta. No entanto, o aspecto é visto na Arena por dois lados. O positivo é que a equipe mineira precisa recuperar o investimento feito no final de 2019, de U$$ 1,5 milhão (R$ 8,4 milhões na conversão atual, R$ 6 milhões na época) por 50% do vínculo de Orejuela.

Por outro lado, os direitos do jogador estão fixados no contrato de empréstimo ao Tricolor: 3,5 milhões de euros (R$ 22,9 milhões na conversão atual) pela mesma fatia adquirida pelo Cruzeiro. Há ainda preferência em qualquer oferta até o dia 31 de dezembro. O restante dos direitos pertencem ao Ajax, que também espera uma negociação.

Há um temor nos bastidores: Palmeiras e Flamengo, que tentaram contratá-lo antes do acerto com o Grêmio, já sinalizaram que podem fazer uma nova investida. Os cariocas, inclusive, entraram em contato quando Rafinha deixou o Rio de Janeiro para atuar no Olympiacos, da Grécia, em agosto.

O interesse de outros brasileiros com aporte financeiro superior motivaram a movimentação da direção gremista. A intenção é fazer uma composição inferior ao valor fixado junto ao Cruzeiro — jogadores podem ser ofertados, mas há uma preferência do clube mineiro em receber em dinheiro pelo seu cenário financeiro. Logo, os próximos dois meses serão decisivos para garantir a permanência do colombiano na Arena.



Veja também