Em seu mundo paralelo, o Grêmio justifica os seis jogos seguidos sem vitória no Campeonato Brasileiro e a 14ª colocação após oito rodadas com os sete títulos conquistados nos últimos anos sob o comando de Renato Portaluppi.

E a cada má atuação surgem mais frases de efeito. Só que agora a paciência do torcedor para aceitar o histórico recente como escudo começa a ruir

A noite de domingo em Goiânia deu um novo motivo para a insatisfação dos torcedores, que invadem as redes sociais – único local de manifestação devido aos portões fechados – para cobrar uma postura diferente do técnico, direção e jogadores. Passivo em campo, o Tricolor só teve forças para empatar em 1 a 1 com o Atlético-GO.

“Neste ano, quem ganhou título foi o Grêmio. Ninguém mais ganha nada. Muita gente já tem falado besteira. No Grêmio não existe crise. Ou melhor, existe. Crise de títulos. Este é o problema do Grêmio” (Renato)

Em 90 minutos, o time de Renato Portaluppi finalizou seis vezes contra o 18º colocado e recém promovido da Série B. Chance clara mesmo, apenas o gol marcado por Isaque, em belo passe de Alisson, aos 40 do primeiro tempo.

Diego Souza pouco apareceu no duelo em Goiânia — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Diego Souza pouco apareceu no duelo em Goiânia — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Sem a criação de Jean Pyerre e Maicon, a equipe recuou na segunda etapa para especular nos contra-ataques. Foi o Atlético-GO quem fez o que o Grêmio propôs nos últimos anos: ficou com a bola (57% de posse) e alugou o campo tricolor. Vanderlei e o travessão evitaram a derrota.

– Algumas pessoas se viciaram em ver o Grêmio sempre bem e acham que jogará bem todas as partidas e vencerá todas as competições. Perdeu duas partidas, precisa mudar os jogadores e ninguém quer saber. A diferença para o quarto, quinto colocado, é de quatro ou cinco pontos. Estamos muito tranquilos – justificou Renato após a partida.

Outras situações da partida evidenciam problemas. Kannemann e Geromel, pilares da defesa gremista, terminaram o primeiro tempo com cartões amarelos. O argentino está fora do próximo jogo por suspensão, e o capitão foi expulso ao matar um contra-ataque já nos acréscimos.

Além disso, aos 41 minutos do segundo tempo, Renato tirou Kannemann. Com o placar empatado, mandou a campo o também zagueiro David Braz. Uma troca protocolar, que contradiz o pensamento de “sempre jogar para ganhar” tão propalado pelo treinador.l

Assim, as explicações e frases de efeito se multiplicam, ao passo que a equipe acumula uma vitória – na primeira rodada -, cinco empates e uma derrota. “Daqui a pouco a bola volta a entrar”, “temos convicção no trabalho”, “temos uma partida a menos”. Resta a 14ª colocação, a nove pontos do líder, o maior rival

– Qualquer equipe de futebol passa por oscilação, e o Grêmio está passando por isso. Até porque estamos trocando o pneu do avião voando. Perdemos jogadores e estamos inserindo novos valores. Precisamos ter consciência de fazer o diagnóstico para recuperar os caminhos da vitória – ameniza o vice de futebol Paulo Luz.

Em “crise de títulos” e à espera do acerto do time com as novas peças, o Grêmio vai a Salvador enfrentar o Bahia na quinta-feira, às 19h15. Na 14ª posição com oito pontos, o Tricolor promete que as vitórias voltarão. Se não vier no próximo jogo, uma frase de efeito resolve.



Veja também