Foto: Lucas Uebel

Principal novidade na convocação da Seleção Brasileira nesta sexta-feira, Arthur admitiu surpresa com a rápida ascensão que teve ao longo desta temporada. Em entrevista coletiva após o treinamento desta tarde, o volante revelou que chegou a pensar em deixar o Grêmio no começo do ano.

A dúvida veio, segundo ele, pela incerteza se iria receber oportunidades na temporada. “Sendo muito sincero, eu não esperava que o ano seria tão bom assim. No começo do ano estava desanimado, não sabendo se deveria continuar mesmo no clube. Foi tudo muito rápido, as coisas foram acontecendo no tempo certo. Se eu pudesse escrever um ano perfeito, não seria tão bom como está sendo 2017”, contou Arthur.

A primeira oportunidade de Arthur no elenco principal do Grêmio veio ainda no começo de 2015, quando foi escalado como titular por Luiz Felipe Scolari na derrota de 2 a 1 para o Aimoré pelo Gauchão. Depois, retornou ao sub-20 e alternou presenças no grupo de transição. Foi pelo time de transição que ganhou chance na Primeira Liga deste ano e logo foi colocado pelo técnico Renato Portaluppi na equipe principal.

As boas atuações de Arthur fizeram Renato deixar no banco nada mais nada menos que o capitão Maicon. E Maicon foi justamente citado por Arthur como um jogador fundamental para esse seu crescimento

“O Maicon é um pai para mim aqui no Grêmio. Admirava ele antes de conhecer e passei a admirar mais ainda. Desde que subi ele vem me ajudando. Aquela ansiedade de jogar, de ter a bola e ele dizia ‘calma’”, afirmou.

Arthur revelou que há alguns meses foi levado por Maicon ao centro de análise de desempenho do clube. Lá, o capitão mostrou alguns dados e deu dicas sobre o que o jovem volante precisava melhorar. “Ele dizia ‘você tem muita qualidade, ninguém toma abola do teu pé, arrisca um pouco mais’. Eu tinha costume de jogar para o lado e ele me pegou pelo braço, me levou lá e mostrou os números. Enquanto ele tinha 40 minutos em campo e dado três passes para gol, eu tinha 100 e não havia dado nenhum. Ele mostrou que eu precisava dar mais o passe para frente. Sempre que ele vê alguma coisa, me dá uns toques. Sou muito grato a ele”, revelou.

Sonho realizado

Logo após a convocação, Arthur se manifestou via Instagram, onde afirmou que estava realizando um sonho. Na coletiva, ele disse ter dificuldade para descrever a sensação que sentiu ao saber que havia sido chamado por Tite.

“Sempre criava uma expectativa, mas não tinha a certeza. Quando soube da notícia foi uma das sensações mais… a adrenalina que veio, foi uma coisa indescritível. Liguei para o meu pai e ele estava chorando. Arrepia muito. É um dia inesquecível para mim”, finalizou.



Veja também