Contra o CSA, Tardelli cumpre mais uma etapa de adaptação ao ataque para vingar no Grêmio

Camisa 9 deve começar a partida desta segunda-feira pelo Brasileirão, enquanto André será mantido como titular na Libertadores

29 de julho de 2019 - Às 12:03
Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

O Grêmio enfrenta o CSA às 20h desta segunda-feira, em Maceió, com time reserva. Como o Brasileirão ainda está na 12ª rodada, o clube trata de priorizar a Libertadores, ainda mais diante da vantagem de 2 a 0 construída no primeiro jogo das oitavas de final, sobre o Libertad – a volta é na próxima quinta.

Decisivo para sair do banco de reservas e abrir o placar na última quinta-feira, Diego Tardelli deixou a Arena com novo ânimo. Desabafou e contou o “momento depressivo” pelo qual passou durante sua mudança da China para retornar ao futebol brasileiro. O torcedor, já sem paciência com o titular André, se enche de esperanças para ter o principal reforço da temporada a pleno.

Porém, ainda não é o que pensa o técnico Renato Gaúcho. Em entrevista coletiva, o treinador deixou no ar a predisposição para manter André na equipe principal. A utilização recorrente de Tardelli entre os titulares dependerá de uma espécie de adaptação à função no comando do ataque.

– Há uma cobrança muito grande em cima do André. Centroavante vive de gols, mas não deixo ninguém de lado. Se não tem feito gols, eu preciso dar moral. Se vai jogar, é outro departamento. Não o deixarei de lado. Só temos o André ali. Temos adaptado o Tardelli. Eu tenho um grupo e, dependendo do que precisamos, monto a equipe – avisou Renato.

Semanas atrás, Tardelli tinha virado pivô de uma polêmica com a diretoria tricolor, que fez uma cobrança pública ao jogador para definir o que pretendia em Porto Alegre. Uma das hipóteses que circulava dizia respeito a suposta incomodação do atacante em ter que atuar como centroavante – ele teria preferência em jogar pelos lados.

Ao romper o silêncio depois da partida pela Libertadores, o camisa 9 rechaçou qualquer polêmica por escolha de posição. Com três gols marcados em 19 jogos, Tardelli busca agora manter um padrão de atuações. André, seu concorrente, tem a mesma quantidade de bolas na rede em 30 jogos.

– Ouvia tudo, lia tudo, escutava tudo. Me calei. Sabia que no momento certo iria me expressar. Não falei que queria jogar na posição “X”. Estava esperando minha oportunidade. Continuei trabalhando, focado. As coisas foram mudando e tive a oportunidade de entrar no lugar do André, onde já joguei. Não teve nada de polêmica – relatou Tardelli.

André x Tardelli

  • André: 3 gols em 30 jogos; 6 assistências; 1.893 minutos em campo
  • Diego Tardelli: 3 gols em 19 jogos; nenhuma assistência; 818 minutos em campo

O Tricolor enfrenta o CSA às 20h desta segunda, em Maceió, com: Julio César; Léo Moura, Paulo Miranda, Geromel e Juninho Capixaba; Rômulo, Darlan, Galhardo, Pepê e Luan; Diego Tardelli. A equipe gaúcha ocupa a 12ª colocação na tabela, com 15 pontos. Os alagoanos estão em penúltimo, com seis.



Veja também